“Descartelização” ou é efeito “bolsonariano”? Guerra pelos centavos nos combustíveis em Macaúbas pode ser “síndrome da abstinência”! Mas, de que?

Passando dos oito reais há meia dúzia de dias atrás, após um “programa” de redução supostamente eleitoreiro do governo federal, visto que estes benefícios vão até dezembro deste ano, onde Estados brasileiros foram obrigados por força, de lei reduzirem sua maior fonte de “roubo”, ops! de renda… Estamos vendo em Macaúbas uma “guerrinha” de “baixa-baixa”  dos preços de combustíveis na bomba! Antes, onde a “linguaruda” das redes sociais acusavam o setor de um suposto cartel, hoje vivemos momentos de um suposto “descartelização”  do setor? Ou é uma “febre bolsonariana” embalada pela ameaça do “lulismo”? Ops, do “ladronismo” …. Que pensam muitos ser este a salvação do que ai estar, um governo que retirou da pasta da Ciência e Tecnologia mais de dois bilhões, recursos estes que seriam investidos em projetos científicos de alta relevância para tirar o pais da ignorância, de ser apenas um produtor de produtos inacabados (commodities) que são vendidos e manufaturados por países devolvidos e retornam a província brasileira, como produtos acabados com alto valor agregado… E assim, até acontece com o petróleo onde o Brasil não tem refinaria para processar a maior parte do seu petróleo e este retorna como “importado” a preço de Dólar! Mas, isso tudo tem uma explicação: é um fato conspiratório, onde o Brasil, é impedido de ser grande para ser o “quintal” produtor e fornecedor de matéria prima para os gringos, para os europeus e china! Isso mediante propina para boa parte das autoridades locais, e assim gerando riquezas para uns e transformando o país numa nação de miseráveis que acreditam que uma “merda” pode salvar outra!

Fonte: redes sociais

E sobre a “crise de abstinência”

O melhor regulador do mercado é a lei da oferta e da procura! Isso é universal… Toda via, a prática de cartel, o que é proibida. segundo a  lei 8137/90 que considera como crime contra a ordem econômica o acordo entre empresas com objetivo de fixar artificialmente os preços ou quantidades dos produtos, não é fácil de ser comprovada e precisa antes de tudo ter um “queixoso”, contudo, por outro lado, o próprio MP poderia agir de ofício, o que é raro acontecer por estas bandas! Na verdade a abstinência neste caso, não existe, foi apenas manchete sensacionalista, só pra combinar com os preços provisórios dos combustíveis no Brasil! Estes, que válidos até dezembro, não deverão impulsionar a queda de outros produtos e serviços que tiveram preços aumentados por conta das altas constantes dos combustíveis – que por sua vez é artificiosa, se o próprio país se diz “autossuficiente”!  Observe que o mesmo acontece com a arroba do boi onde bateu a 350 Reais e hoje chega a 270, e você continua pagando os 30, 35 Reais num quilo de pelanca no açougue da esquina! Você agora entende este país de bananas?


Os comentários estão fechados.