Ângelo Coronel: “emenda” Lei para se beneficiar (também) de dívidas que tem com o Estado. Essa é a Bahia de todos os “satanás”!

Coronel apresentou uma emenda que aumentava o prazo de adesão à repactuação de dívidas de 12 meses para 24 meses e dilatava o prazo de pagamento de 24 parcelas mensais para 48 parcelas mensais, bem como reduzia a taxa fixa de juros de 15% ao ano para 12% ao ano”

O destaque acima é a emenda do Coronel, a um projeto de Lei do Estado da Bahia sobre dívidas do extinto Baneb, que foi vendido para o Bradesco apenas a parte “boa”… Hoje Ângelo Coronel é presidente da Assembléia Legislativa e será senador!  E segundo nota da Bahia Notícias um dos devedores do Baneb, ou seja, o cara altera artigos da Lei para auto benefício… Tudo acontece após as urnas serem abertas ou pelo menos divulgado!

Essa é a Bahia de todos os Santos, coronéis, anjos e santanas!… Muitos eleitos por nós! Merece sim, um kkk?

Legal: querer é poder!

Nota do Bahia Notícias destas quinta feira 29…

“Eleito senador, o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Angelo Coronel (PSD), fez emendas e conseguiu alterar um projeto de lei enviado pelo governador reeleito Rui Costa (PT) na suposta tentativa de facilitar o pagamento de dívidas milionárias com o extinto Banco do Estado da Bahia (Baneb). Entre os devedores, no entanto, está o próprio Coronel. O processo não é novo e tramita na Justiça há pelo menos 16 anos, tendo o atual presidente do Legislativo como um dos pólos – a Fundação Afonso Martins, ligada a ele na época, e a principal ré na ação.

O governador enviou à AL-BA uma proposta de repactuação de dívidas oriundas de operações de crédito contratadas com o extinto Baneb no dia 26 de março de 2018. Duas semanas depois, no dia 12 de abril, Coronel apresentou uma emenda que aumentava o prazo de adesão à repactuação de dívidas de 12 meses para 24 meses e dilatava o prazo de pagamento de 24 parcelas mensais para 48 parcelas mensais, bem como reduzia a taxa fixa de juros de 15% ao ano para 12% ao ano.

O projeto reformado por Coronel foi aprovado pelo Legislativo e encaminhado para sanção do governador. Rui, no entanto, vetou integralmente as mudanças. “Assim procedi porque o referido Projeto de Lei sofreu alterações significativas no seu texto original, comprometendo todos os fundamentos técnicos que o amparavam e estabelecendo condições que, além de serem inadequadas para o perfil da operação, aumentaram substancialmente o grau de exposição ao risco da Desenbahia e do Fundese”, argumentou.

Na última terça-feira (27), a AL-BA manteve o veto de Rui, mas com voto contrário de Coronel (veja aqui). Ele alegou que sufragou contra o governo após firmar acordo com a oposição para evitar que a sessão caísse (veja aqui). Segundo decisão da juíza de direito do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), Élbia Rosane Sousa de Araújo, de agosto de 2015, Coronel teria uma dívida de R$ 389.753,33 com o Baneb em valores de 2002. Em números atualizados, segundo apurou o Bahia Notícias, o valor passaria da casa do milhão com o banco.”


Os comentários estão fechados.