POLÍTICA: ROMPIMENTO DO PREFEITO DE MACAÚBAS COM O EX REPERCUTE NA REGIÃO.

Em análise do ocorrido, o Blog do Glauber publicou nesta sexta feira, 25 o seguinte texto: “o prefeito de Macaúbas, José João Pereira, o Zezinho (PSB), falou ontem (24) à FM Macaúbas, em vídeo postado no site Macaúbas On Off, sobre os motivos do seu rompimento político com o ex-prefeito Amélio Costa Júnior (Amelinho) e a necessidade de aproximação com a oposição. Segundo Zezinho, nos dois mandatos do então prefeito Amelinho sempre houve uma união entre os dois, todavia, agora que ele virou prefeito, o ex-gestor convidou alguns amigos para ser seu vice [em 2016]. “Tudo isso vinha acontecendo sem conversar comigo. Achava estranho”, disse Zezinho, sem falar o nome do ex-prefeito.

O prefeito destacou o momento difícil porque passam todas as prefeituras do Brasil, inclusive a de Macaúbas, que fechará as portas hoje (25) em protesto contra a crise financeira e pedido de aumento do FPM. “Não sei se foi por isso que ele abandonou a gente. Ele não quis saber de Zezinho; procurando candidato pra vice-prefeito já”, reclamou o prefeito em relação ao comportamento político do ex-gestor.

Zezinho também afirmou que, para sair do PSB, Amelinho (a quem chama de ex-prefeito apenas) deveria, antes, ter conversado com ele. “Como é que meu companheiro, companheiro de luta e tudo, sai de meu partido sem ao menos comunicar comigo? E o pior de tudo não é só sair do partido. O pior de tudo que ele tentou registrar um outro partido. Além de sair do partido ele ainda chama os vereadores da base do governo para fazer parte de um partido novo. O que ele quer com isso? Esvaziar o meu governo; esvaziar a minha administração. Tudo isso eu fiquei chocado. Eu ficaria, então, com minoria na Câmara de Vereadores” disse o prefeito, que completou: “Um momento de crise; um momento difícil que as prefeituras estão passando, como é que eu vou governar, como é que vou administrar sem contar com a Câmara de Vereadores? Com 4 ou 5 vereadores eu não poderia administrar nunca uma prefeitura”.

Zezinho reforçou sua ideia de que quem saiu do grupo político foi Amelinho e que por isso buscou apoio da oposição, comandada por Robinson Nunes, candidato que enfrentou nas eleições do ano passado. “Quem saiu não foi Zezinho; quem saiu do PSB foi o ex-prefeito. Então aí eu tinha que ter sobrevivência política. Foi por isso que houve o entendimento entre as forças políticas de Macaúbas, que me deu o apoio, o respaldo de vereadores. Vou ter o apoio da Câmara. Agora melhorou. Vamos ficar mais ou menos com 10 vereadores. Eu quero fazer um grande trabalho. Eu acho que ficou mais ou menos explicado a separação de Zezinho com o ex-prefeito. Eu quero ratificar o que eu disse aqui: quem saiu não fui eu; quem saiu foi ele”, finalizou Zezinho, dizendo ainda que houve um plano para desestabilizar sua administração.

o Blog do Glauber informa ainda que  abre espaço para quaisquer esclarecimentos por parte das pessoas citadas na matéria.

 Clique aqui e veja a matéria original. 


Os comentários estão fechados.