PATRIMÔNIO HISTÓRICO NORDESTINO AMEAÇADO

    – CERCA DE PEDRAS –

Estrada de acesso ao Pajeú. (Foto Jobijander )
Estrada de acesso ao Pajeú. (Foto Jobijander )

                                                                                                                  

* Por Jobijander Pinto da Purificação

Quantas vezes passamos por elas e nem notamos a sua grandeza. As pessoas não se dão conta do tamanho da importância histórica, artística, cultural e arquitetônica que há por traz de uma cerca de pedras. Considerado por alguns, um legado, um registro imponente e duradouro, que resiste a passagem dos tempos e as ações nocivas do homem.

As novas gerações, talvez, desconheçam sua origem, mas, segundo autores, elas começaram a serem erguidas pelos Índios, de maneira arcaica e irregular, e logo depois, melhoradas pelos Escravos, e, Sertanejos humildes e carentes, em meados do século XIX; pelos Escravos ao custo de suor, sangue, lágrimas, chibatadas, até mesmo cantorias eram ouvidas, para esquecer o sofrimento e alegrar o trabalho árduo, isso, quando a criação de gado na região nordestina estava no auge.

P5190015

Conhecida em algumas regiões do nordeste brasileiro como: Mangueira, Taipa ou Cerca de Pedra, serve até hoje para demarcar limites de áreas rurais e confinamento do gado, lembrando que esse tipo de construção é resistente e duradouro, sem falar no valor ambiental, elas servem de abrigos para repteis, anfíbios, mamíferos e insetos tais como: Preás, Mocos, Pererecas, Rãs, Teiús, Cobras, Baratas de Madeira, Besouros e suas Larvas, Escorpiões entre outros¹. E na época das grandes estiagens, alguns desses animais citados, serviam de alimentos para saciar a fome, e manter a subsistência de famílias sertanejas desafortunadas². Mas o sábio povo nordestino notou ainda que a cerca uma vez construída, quando desmanchada pela ação de vândalos, animais ou pelo tempo, as pedras, não se deterioravam, e nem se perdiam, permaneciam no mesmo local, facilitando o manejo e a sua reconstrução, e não corre o risco de incendiar, e nem tinha a necessidade de derrubada de novas árvores, como as cercas feitas de estacas de madeira e arame farpado causando maiores impactos ambientais.

Existem relatos que foram varias as tentativas de apagar esse patrimônio histórico, um deles, foi pelo Ministério da Saúde, que em 1970 sob a suspeita que as cercas de pedras serviam de abrigo e criadouro para o então mosquito transmissor da Dengue o aedes aegypti; e em oura ocasião segundo relatos o DNIT – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, que demarcou as margens das rodovias federais, tendo então, de destruir as cercas que estavam às margens das estradas asfaltadas.

Ainda hoje, podemos notar no município de Macaúbas e região que Cercas de Pedras estão sendo derrubadas com autorização de órgãos públicos competentes (órgão estes que deveriam preservar) para abertura de loteamentos e vielas, e, as pedras retiradas das cercas, são simplesmente comercializadas para a construção civil, as pessoas desconhecem que cada pedra retirada, tem seu valor, sua história. Claro que o progresso tem que ser contínuo, mas, restrições devem ser impostas, Cerca de Pedra é cultura, e deve ser preservada. Avanço, preservação e cultura devem andar juntos, uma comunidade sem cultura perde seu rumo, sua identidade. Talvez por falta de conhecimento, ou mesmo pela ganância, o homem acabe por apagar parte de sua história, e suas origens, destruindo e desprezado o esforço feito pelos Índios, Escravos e Sertanejos, debaixo de tanto sofrimento, quando ergueram essas verdadeiras obras de arte, sem exagero, com estudos mais aprofundados, pode-se prever que, essas cercas tenham tanta importância histórica e cultural quanto a nossa Caatinga³  que é o único bioma exclusivamente brasileiro.

A intenção, não é barrar a economia nem o progresso, mas sim, alertar para o avanço consciente, as Cercas não são só Pedras, há vida e história em seu contexto, talvez planejamento e remanejamento seja a solução para esse confronto entre o avanço e a história.

Cada povo é que deve preservar, e dar valor ao seu patrimônio histórico.

Mas, nem tudo esta perdido, ainda existem pessoas conscientes, que mantém a tradição e a cultura herdada de seus Pais e Avós, tanto na região serrana quanto na região do baixio do município de Macaúbas, mantendo vivos esses monumentos arqueológicos, e outras que vem realizando um ótimo trabalho de conservação e preservação, independente da ajuda ou incentivo do poder público, como pode ser visto as margens da estrada vicinal, que dá acesso à comunidade do Pajeú nesse município, para ser mais preciso, no povoado denominado “Queimadas”, Cercas de Pedras estão sendo construídas, recuperadas e reerguidas ao longo das propriedades.

O Município de Macaúbas tem um excelente potencial turístico e cultural, com suas pinturas rupestres em cavernas e paredões rochosos; grandes, medias e pequenas cachoeiras; serras exuberantes, com suas belas paisagens; cruzeiros; danças típicas; culinárias regionais e diversas historiam centenárias; o município é rico em cultura, arte e história e nos não podemos deixar esse patrimônio acabar, sem ao menos compartilharmos e desfrutar com as presentes e futuras gerações.

¹ Preás(Cavia aperea), Mocos(Kerodon rupestris), Pererecas(Scinax perereca) , Rãs (Ranidae) , Teiús(Tupinambis) , Cobras(Serpentes), Baratas de Madeira(Blattella germânica), Besouros(Scarabaeidae) e suas Larvas, Escorpiões( Scorpiones);

² Caça de animais silvestres é proibida pela LEI Nº 9.605, DE 12 DE FEVEREIRO DE 1998.;

³ Caatinga (do tupi: ka’a [mata] + tinga [branca] = mata branca).

Texto escrito e montado no intuito de servir como base, incentivo e apoio para estudos futuros.

 _______________________________________________________________________

* O ambientalista Jobijander Pinto da Purificação, é Tecnólogo em Gestão Ambiental e Pós-Graduado em Direito Ambiental.

Texto baseado em relatos de moradores antigos;

Referencias:

phttp://www.portaldasmissoes.com.br/site/view/id/1423/cerca-de-pedra-da-epoca-dos-escravos.html

Cercas de Pedras

http://cicerolajes.blogspot.com.br/2015/06/patrimonio-historico-do-nordeste-cercas.html

http://www.rccfm.com.br/VisualizarNoticia/6149/historia-solida-que-as-cercas-de-pedra-contam.aspx#.Vz2rtfkrLIU

https://www.google.com.br/?gfe_rd=cr&ei=Q7A9V73QK8zM8AeUkJPgBQ&gws_rd=ssl#q=nome+cientifico+de+escorpioa

https://www.google.com.br/?gfe_rd=cr&ei=B7M9V6C-KezM8AfW34ioBw&gws_rd=ssl#q=Caatinga


Os comentários estão fechados.