Gilberto Brito, prefeito de Paramirim.

Tendo a única pista de pouso que opera com voos noturno na região, o aeródromo Selma Nunes, localizado em Macaúbas, ao lado da BA 156, é iluminado por grupo de geradores movido a diesel desde sua inauguração em dezembro de 2020, e com riscos de ter a interrupção dos voos noturnos por falta da ligação de energia elétrica por parte da Coelba, mobilizou toda região, a exemplo do prefeito de Paramirim, Gilberto Brito, que manteve contato com a Superintendência de Energia da Bahia, órgão ligado a Secretaria de Infraestrutura do Estado. Beto obteve a informação que o processo de solicitação por parte do empresário Robinson Nunes, já se encontra da distribuidora de energia e que deverá receber prioridade. Beto como outros prefeitos da região estão apreensivos com a possiblidade de fechamento da pista durante a noite, visto que Paramirim como toda região vem sendo assistida com as transferências de pacientes para UTIs, através do aeródromo Selma Nunes, estas que costumeiramente acontecem a noite.


Saída dos chefes das três forças ao mesmo tempo é inédita no país e vem como reação à demissão do general Fernando Azevedo ocorrida na segunda

Segundo informações do portal El País, “um dia depois da demissão do general Fernando Azevedo da chefia do Ministério da Defesa, os comandantes Edson Leal Pujol (Exército), Ilques Barbosa (Marinha) e Antônio Carlos Bermudez (Aeronáutica) entregaram os cargos. A saída em conjunto foi confirmada pelo Ministério da Defesa, que em nota afirmou apenas que a decisão foi comunicada em uma reunião na manhã desta terça. Os motivos do desembarque não foram informados. Os três já haviam tomado a decisão na própria segunda-feira após a queda de Azevedo, mas a pedido de seu sucessor, o também general Walter Braga Netto, concordaram em protelar a saída até uma nova rodada de diálogo. A demissão simultânea dos chefes das três forças é um fato inédito no país e marca a maior crise entre as instituições desde a redemocratização. Caso a tradição seja mantida, Braga Netto agora deve apresentar para a escolha do presidente três nomes para cada um dos cargos vagos, seguindo um critério de tempo de caserna.

Foto: Marcos Correa/PR

A relação de Bolsonaro com Pujol já havia dado sinais de desgaste logo após o início da pandemia, em 2020. O militar sempre se preocupou em tratar o combate à covid-19 como uma das “maiores missões do Exército”, em flagrante desacordo com o negacionismo do presidente. Em um evento ocorrido em abril do ano passado, Pujol ofereceu o cotovelo para cumprimentar Bolsonaro, que lhe estendeu a mão em cerimônia no Comando Militar do Sul, em Porto Alegre, traduzindo em gestos o desalinho entre ambos. À época o presidente chegou a cogitar retirá-lo do cargo, mas voltou atrás. Em novembro uma reunião entre o vice presidente, Hamilton Mourão, Pujol e os ministros militares Luiz Eduardo Ramos e Braga Netto também provocou a ira de Bolsonaro, conforme relatou o repórter Afonso Benites.

A reunião de novembro foi apenas um sintoma de um quadro geral de cisão entre o Planalto e setores das Forças Armadas, que culminou com o afastamento de Azevedo mas que tem relação com um desgaste pelos erros no Ministério da Saúde e na gestão da proteção à Amazônia —que também estavam a cargo de militares. Nos bastidores comenta-se que o mandatário estaria ainda exigindo maior apoio dos comandantes das Forças Armadas às suas medidas mais radicais, como usar o Exército para combater o lockdown nos Estados, por exemplo. Em 19 de março, Bolsonaro afirmou que “meu Exército não vai cumprir lockdown. Nem por ordem do papa”, quando indagado sobre a possibilidade da tropa auxiliar prefeitos e governadores a reforçarem medidas de restrição. O mandatário chegou a fazer uma ofensiva jurídica contra tais práticas no Supremo Tribunal Federal, sem sucesso.

Em sua carta de renúncia Azevedo afirmou na segunda-feira que sob sua gestão as Forças Armadas agiram “como instituições de Estado”, em oposição às tentativas de instrumentalização política feitas pelo Governo. O general Carlos Alberto dos Santos Cruz, um dos primeiros ministros fardados a ser demitido por Bolsonaro após entrar em conflito com os filhos do presidente, em junho de 2019, usou o Twitter na noite de segunda para cobrar explicações: “Forças Armadas não entrarão em aventura! Governo tem de dar explicações à população sobre a mudança no Ministério da Defesa”, escreveu.

Em meio à debandada dos generais, o presidente se mostrou alheio à crise, ao menos nas redes sociais. Horas após o anúncio do afastamento dos comandantes das Forças Armadas, Bolsonaro usou o Twitter para propagandear um evento do Ministério da Infraestrutura. Nenhuma linha sobre a saída da cúpula militar. Até o momento, seus filhos políticos, Flávio, Carlos e Eduardo, também silenciaram sobre os fatos. Até agora, apenas o vice-presidente, Hamilton Mourão, se manifestou. Em entrevista à jornalista Andréia Sadi, da Globo, o general da reserva afirmou que não há qualquer risco de uma ruptura institucional. “Pode botar quem quiser, não tem ruptura institucional. As Forças Armadas vão se pautar pela legalidade, sempre.”

Após o anúncio da saída dos três comandantes, a Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, a pedido de Aécio Neves, afirmou que irá protocolar um convite a Braga Netto para que preste explicações sobre as trocas realizadas nas Forças Armadas, segundo informou o jornal Folha de S.Paulo.

O Governo Bolsonaro sempre se apoiou em quadros militares, colocando integrantes da caserna em ministérios e outros cargos-chave. Durante seu mandato a categoria escapou de uma reforma da Previdência dura no final de 2019, obtendo vantagens com relação aos servidores públicos e trabalhadores do setor privado. Os membros das FA, por exemplo, terão salário integral ao se aposentar, e estão isentos de qualquer idade mínima obrigatória. Além disso, em março foi aprovada a Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2021, que liberou um aumento de remuneração para a categoria, que agora passa a ser a única que poderá receber reajuste este ano em um contexto no qual as demais tiveram o salário congelado até dezembro. Por fim, a verba destinada para investimentos nas Forças Armadas prevista na LOA subiu de 8,17 bilhões de reais para 8,32 bilhões de reais.”

Link da matéria original: CLQUE AQUI. 

(Foto acrescida pela redação do blog)


Pista de pouso do Selma Nunes. As luzes irão se apagar e vidas poderão ser perdidas.

Inaugurado no dia 23 de dezembro do ano passado, o Aeródromo Selma Nunes, que fica situado na BA 156, construído pelo empresário Robinson Nunes, em parceira com o município de Macaúbas, está com voos noturnos suspensos provisoriamente. Segundo consta, por falta da ligação de energia elétrica pela Coelba. Segundo Robinson Nunes, são aproximadamente 14 municípios da região – cerca de 500.000 habitantes – que serão prejudicados com o fechamento noturno do aeródromo. Pois não mais poderão fazer transferência de pacientes, por meio de UTI aérea, durante á noite. Somente na semana passada, o aeródromo recebeu, durante a madrugada, 04 pousos de UTI aérea, salvando vidas. É preciso lembrar que no estado da Bahia, existem apenas 11 aeroportos que podem receber voos noturnos. Com o fechamento parcial do Aeródromo Selma Nunes, muitas vidas poderão ser perdidas, mais ainda neste momento crítico da pandemia de Covid-19.

Essa foi a primeira transferência de paciente para UTI, em menos de 24h após sua inauguração.

A solicitação à Coelba, foi feita há mais de 7 meses, diz o empresário, tendo toda infraestrutura já pronta com postes, transformadores, tudo conforme exige a Coelba.

Hoje o aeródromo é operado a base de grupos geradores, que têm suas limitações. O blog não conseguiu manter contato com a Coelba, no entanto, o espaço fica aberto para as devidas considerações.


Iniciou na manhã desta terça feira a vacinação de adultos com idade a partir dos 60 anos, a Secretaria de Saúde anuncia que a vacinação será disciplinada com senhas as quais iniciaram a distribuição no Centro de Saúde, às 7h30min. Os interessados devem se dirigir ao local com os documentos de RG, Cartão do SUS e Cartão de Vacinação, além de manter os cuidados requeridos nesta pandemia: distâncias segura entre as pessoas, uso de mascaras e mãos livres do virus! Medidas simples que salvam vidas, os descuidados quando não pagam o preço com suas vidas, podem ter consequências terríveis ou não! Mas os riscos não compensam!

Esta faixa etária representa um bom número de habitantes de Macaúbas, na “pirâmide populacional” do IGBE no censo de 2010, representava em torno de 15%, o que pode significar uma população em torno de 7.500 pessoas. No entanto, é sabido que muitos idosos ainda não receberam a primeira dose, estes que estão isolados no interior do município, principalmente na região serrana, devido ser vasto o território do município!

Na Bahia, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde, até o dia de hoje, foram vacinados 1.738.720 pessoas, já em Macaúbas, foram vacinadas 5.159 pessoas, ou seja, 81,6% das 6.320 doses recebidas. O ideal é a vacinação de pelo menos de 70% da população, que seria um contingente de 35 mil pessoas, para isso, seriam necessárias 70 mil doses só para Macaúbas, ainda não atingimos nem 10% deste percentual.


“Lockdwon” é uma atestado da indisciplina da massa! Contudo, o povo independentemente de seu nível cultural, econômico e social, é sempre assim, quando se junta é tudo igual – é por isso, que governos mesmo em países cultural e economicamente desenvolvidos adotam essa medida extrema.

Só vai depender do seu ponto de vista!

Em Macaúbas, distantes estamos nós do velho mundo, por ser aqui um “mundo velho”, parece que a suspenção do bloqueio total, não  teve agravo substancial como era temido! Se assim for, isso vendo os números apenas dos casos ativos que tiveram uma queda de 60%, por outro lado os números absolutos de casos (os conformados), tiveram um aumento de 63,7%, (comparando com o boletim de 30 dias atrás: 27/02/21) mas a “massa” fica de olho mesmo são nos ativos, estes sim que têm o potencial de transmitir, por outro lado é assustador e proporcionalmente equivalente o número de óbitos ligados a Covid-19, que neste período de 30 dias teve um aumento de 350%, o que mostra a letalidade desta nova cepa! Já a ciranda dos números dos casos de internamento tinha e tem oscilações bruscas diárias, que demandariam uma análise mais profunda, e para tanto, nos “falta ar” para isso!

A conscientização para povos de cultura e hábitos sociais “afrouxados” deve ser constante, lembramos da “Coca-Cola”, e sua insistência no marketing de consolidação da marca, assim devem agir os governos: lembrando sempre dos riscos do contágio da Covid-19, mesmo quando os números aparentam controlados diante de uma manchete de um post, o qual deve ser analisada e comentada somente após a leitura de todo o texto e mesmo assim, ainda nos restam dúvidas, visto que há pesquisas que afirmam que o número de sub notificação chega a 10x mais dos casos oficiais! Ou seja, os números podem abrir a porta do céu ou o inferno!

 

 


“O poder público do município de Macaúbas-BA foi sensibilizado com as palavras do Presidente do Conselho Regional de Educação Física da Bahia – CREF13/BA, Rogério Moura, nesta quinta-feira (25). O Presidente do CREF13/BA, Rogério Moura e o Conselheiro do CREF13/BA, Francisco Canindé estiveram na cidade e participaram da 7ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Macaúbas. Um espaço foi aberto na pauta da Câmara para que o Presidente do CREF13/BA, Rogério Moura falasse sobre a necessidade do reconhecimento das academias e similares, assim como as atividades físicas e exercícios físicos, ministrados por Profissionais de Educação Física, devidamente registrados no CREF13/BA, como serviços essenciais para a população do município durante a pandemia da COVID-19. Ainda em Macaúbas, os representantes do CREF13/BA participaram de uma reunião com Profissionais de Educação Física e proprietários de academias da região para resolver demandas locais da categoria, participaram do encontro realizado no Studio Santana Fit: Evangelista Sousa Santos, João Santana, Gilmar Porto, Lázaro Morais e Fabiano Factum.”

(Nota enviada pela Assessoria de Comunicação do Consorcio dos Profissionais e Donos de Academias de Macaúbas)


Em discurso proferido na Tribuna Livre da Câmara Municipal de Macaúbas, em sua sétima sessão realizada na manhã desta segunda feira, 25, o vereador que assume seu segundo mandado, Valmir do Exu, eleito com expressivo numero de votos principalmente do setor de saúde, de origem rural, da comunidade do Enxu, Valmir usa sempre da coerência em seus discursos, homem simples, de inteligência singular, amistoso, as vezes é visto como “cri cri” no meio político, por ser questionador, ou seja, um vereador “confusentinho”  a valor do povo! Qualidades que o levaram a reeleição, o que mostra que esse é o caminho!

Língua afiada!

Em seu discurso, Valmir traça a seguinte linha de pensamento, onde cita a obra do hospital de Boquira, que teve um custo superior a 2 milhões de Reais (e lá está abandonado em plena pandemia), a perda do Centro de Hemodiálise para Ibotirama, a perda da Policlínica para Brumado, benéficos estes que poderiam ficar em qualquer cidade da Bacia do Vale do Paramirim, MAS, NÃO FICARAM, segundo Valmir por fala de união de seus gestores, políticos e sociedade, ou seja: brigas e rinchas polícias e mais, estes são verdadeiros “confusentos” em desfavor do povo!  Não podemos também acrescer ai, a UTI, que Guanambi que  a região não tem, outra confusão armada por políticos da região!

Em resumo: parece que nada vem ou fica na Bacia, por ela ser “rasa” e  cheia de pensamentos pequenos, ações medíocres!… E formada, em sua maioria,  segundo Valmir por políticos de pensamentos “rasos”… “Deveriam unir em favor da região, buscar o progresso e alternativas para o fortalecimento do nosso povo”... Diz o vereador!  As ações isoladas, é o que mais se ver, um prefeito, indo a Salvador ou a Brasília, bater sozinho na porta de um secretário, ministro ou deputado… O que poderia ser feito em conjunto, num consórcio, numa caravana dos 11 municípios da região, mostrando força, união e um só propósito, aumentar o TAMANHO DA BACIA, torna-la representativa, forte…

No entanto, temos uma bacia furada, com poucos recursos… E em vez de cuidar da Bacia do Paramirim, preferimos ter em mãos uma cuia e sair por ai mendigando de gabinete em gabinete as sobras do banquete das regiões mais politizadas e unidas do estado baiano!


Existe a nível de Estado, o da Bahia, como também e, certamente nos demais, uma Central de Regulação, este setor é responsável em “achar” leitos e procedimentos disponíveis no SUS (Sistema Único de Saúde), quem já precisou transferir um paciente para UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) sabe o que é isso. No entanto, é estranho muita das vezes um “telefonema para um deputado“,  e pedir sua intervenção política (o favor), visto que pela política do SUS não é necessário, pois a “vaga” já deve está ou não disponível no sistema regulatório do Estado, mas essa não é a razão para tal post.

O que vimos aqui é o esforço da atual gestão, e neste caso da Secretaria de Saúde de Macaúbas, na tentativa de “organizar” a nossa equivalente Central de Regulação, que é a Central de Marcação de Exames e Procedimentos do município – este que tem suas peculiaridades e dificuldades, tanto administrativas quanto políticas – mas a essência do esforço é atender o cidadão, independentemente de sua classe social, econômica e preferências políticas,  respeitando assim os princípios da administração pública que são baseados na legalidade, moralidade e eficiência, além da  impessoalidade, agindo assim, sem o favoritismo. E para isso esta se estruturando da Central de Marcação, partido de lá, os ramais de redirecionamento do paciente as unidades que dispõem dos serviços procurados pelo cidadão, conforme ilustra acima o folheto publicado nas redes sociais da Prefeitura.

Não poderia ficar de fora um princípio importante que é  da publicidade dos atos públicos, este que é  o norte e a garantia do cumprimento dos demais, tornar pública a informação pública, assim como está sendo as atitudes do novo governo, na divulgação, na transparência de seus feitos, dando a liberdade do saber ao cidadão! Eis um caminho!