Onde foi parar o Projeto de Segurança Hídrica do Vale do Paramirim?

Folhetos distribuídos nas audiências, que nada renderam

Iniciado em 2015, primeiro ano do governo Rui Costa, com uma série de audiências em alguns municípios da região, sendo o primeiro em Boquira, em 25 de maio de 2015, em seguida Rio do Pires, Érico Cardoso e finalizado em Paramirim no dia 28, o Projeto de Segurança Hídrica do Vale do Paramirim,  nestas audiências foram apresentadas propostas pela sociedade civil, projetos e cronogramas, agendas por parte do Governo, muitas destas “promessas” “obras” e realizações  não foram cumpridas, a exemplo: …”Outro tema abordado pelo secretário  ( estadual do Meio Ambiente, Eugênio Spengler) foi a modernização da irrigação no Vale do Paramirim, com investimento estimado em R$ 23,4 milhões, e finalização prevista para 2017. Spengler destacou ainda o cadastro de irrigantes do Vale do Paramirim, que já foi iniciado e deve ser finalizado ainda em 2015.” (Fonte O Eco).

Com o passar do tempo, o assunto foi esquecido, “lóbi” de políticos e outras intervenções, mas a maior delas foi a falta de “força política” junto a Ondina do menor território da Bahia, faz suas populações sofrerem… E certamente vai reeleger Rui Costa para mais 04 anos…

Ultima audiência realizada em Paramirim 28/05/15… (Foto O Eco)

Também nesta oportunidade foi prometido o Sistema de Esgotamento Sanitário de Érico Cardoso, que também não foi ainda realizado… Macaúbas, por ter tido na época um “governo fraco”, ficou “geograficamente” fora das audiências, como o maior município da região porém,  fraco diplomática e politicamente falando, isso devido a “bagunça” administrativa, a qual tem-se reflexo até hoje, visto que o atual governo também não tem feito o suficiente para que Macaúbas seja de fato a Sede Administrativa da 23ª Região,

Apesar disso, Macaúbas,  ainda não viver um “caos” no sistema más sim,  uma crise hídrica ignorada por seus governantes, pela sociedade e pelo Governo do Estado, milhares de famílias macaubenses ainda são assistidas por carros pipas, a sede municipalpor conta do racionamento (que o SAAE chama de manobras), água nas torneiras chegam em algumas residências apenas uma ou duas vezes na semana. E não se ver uma cobrança da Câmara de Vereadores, da “inexistente” oposição, da sociedade civil “desorganizada” e mal representada, para que esse sério problema de hoje, não se torne o CAOS anunciando de amanhã!

O que será o Vale do Paramirim dentro de 20 anos?

Ou menos, sendo que o mesmo é o menor do estado, tendo o menor PIB (Produto Interno Bruto), tem a menor taxa de IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), fraca representação política (não tem nenhum deputado que seja “nato” da região), o que comprava a falta de união entre as classes politicas locais… Na verdade o Vale do Paramirim sem investimentos do Governo do Estado e Federal, se tornará em poucos anos no Vale da Morte!… Algumas propriedades rurais hoje do município de  Paramirim, tendo estas de propriedade de políticos e empresários influentes na política local, usam água do Zabumbão num sistema de irrigação da Idade Média, com o método de inundação, um completo e irracional desperdício de água que as autoridades locais fecham os olhos…

O blog não conseguiu manter contato com Rui Costa, no entanto, espaço fica aberto para interessados e outros através do e-mail do blog: [email protected]

Veja a seguir partes de um folheto que prometia solução rápida para a Segurança Hídrica da região:


Os comentários estão fechados.