O último Adeus ao Mestre do Arado, Prof. Ático Mota.

O seu testamento: nos dar o direito de sonhar com uma Universidade. Jantar em apoio a implantação da Universidade do Sudoeste com Campus em Macaúbas, ao lado do Prof. Orlando.
O seu testamento: nos dar o direito de sonhar com uma Universidade. Jantar em apoio a implantação da Universidade do Sudoeste com Campus em Macaúbas, ao lado do Prof. Orlando.

A gratidão é a memoria do coração” (Antístenes) – Escrita numa folha de papel madeira, a lápis de cera, numa parede atrás de sua cadeira na sala da Presidência da Fundação Cultural Prof. Mota… Era uma das suas preferidas… E entre uma e outra sempre usava a expressão, até como forma de conselho e motivação: “Nunca deixe o arado no meio do campo”…  E ele, ao deixar este plano, levou consigo o seu arado…

Libriano, nascido em 11 de outubro de 1928… 87 anos dedicados aos estudos, saiu de Macaúbas no lombo de cavalo aos 12 anos para estudar em Salvador, sob os incentivos do seu pai José Batista da Mota e orações de sua mãe Dona Aida Frota Vilas Boas da Mota… Sua história é rica, autores de diversos livros, professor e um dos có-fundadores da Universidade Federal de Goiás, membro da Academia Baiana e Brasiliense de Letras… Sua casa, que será transformada num memorial, onde foi sepultado no fim da manhã deste Domingo de Páscoa, 27 de Março de 2016, ao lado de sua esposa, Dona Alzira que faleceu poucas semanas antes (12/02/2016)…

Amigos, parentes… Ali toda Macaúbas também representada, uma cidade por ele venerada… Radicou-se aqui, em março de 1989, no casarão dos seus pais, na Praça da Matriz, hoje sede da Fundação que leva o nome do seu pai, fundada em agosto de 1972. Prof. Ático fez úteis e profundas mudanças no cotidiano de Macaúbas, tendo o número 11, como o “da sorte”, como sugestão, fez uma lista de onze frases à Igreja Católica para que a mesma substituísse o “Aviso Fúnebre”, usado para anunciar falecimentos na cidade através do alto falante da Igreja Matriz, entre as quais, foi escolhida: “Aviso do Repouso em Cristo”!…

Em seu templo... O Homem que que não queria descaso, mas sim e, certamente PAZ!...
Em seu templo… O Homem  que não queria descaso, mas sim e, certamente PAZ!…

O repouso em Cristo do Prof. Ático, como toda partida de uma ser ímpar (por ser 11, talvez) , parece ser um desserviço, uma desnecessidade; talvez necessária… Talvez.

Não poderia faltar um dos maiores símbolos de expressão cultural de Macaúbas, os meninos do também eternizado Prof. José Benedito do Amaral, musico nato, o qual o Prof. Ático tinha grande apreço; com a Filarmônica Nossa Senhora da Imaculada Conceição, entoou vários dobrados, entre eles, Macaúbas, do saudoso Maestre Zé Preto, além do Hino Nacional…

O seu testamento deixado para toda a humanidade, visto que era um cidadão global,  o seu legado, na verdade as suas vontades em vida: “o não exercício da Lei do Menor Esforço“, a via mais instigante é aquela que mais exige de nós, ou seja, manter vivos os seus projetos: a Fundação Cultural Prof. Mota, O Museu e o Memorial da Casa Viva, em sua residência, a sua eterna morada!

Veja também dois vídeos postados em nosso canal do Youtube, (clique aqui que você será redirecionado)

 

 


3 Respostas para “O último Adeus ao Mestre do Arado, Prof. Ático Mota.”

  1. Aníbal Cajado O. Neto

    …….. realmente nobre articulista, e evidente vc como um de seus pupilos. aliás, merecido pela intrepidez, pela perspicácia, em fim ….por tudo. infelizmente o calendário deveria ter” vindo faltando” este 26,03,2016, há que dia fatídico, há que tarde de sábado funesta e inesquecível, pois é, há esta hora infelizmente chegou a funesta notícia, perdemos” o nosso maior de todos” os macaubenses,(para mim, lógico, sem desmerecer a outros), por que não dizem “PAI DE NÓS TODOS”, pois sabia quase tudo de todas as família daqui, e quase todos os seus casos e histórias, “em pormenores” kk muitas delas, super secretas, aliás uma de suas tantas virtudes: sabia guardar segredos mais que ninguém; Por que não dizer um homem como poucos que viveu e neste planeta, pois é, era assim que era aquele ícone, pois quem conviveu com ele como nós (UMAS DUAS DEZENAS de privilegiados + ou – ), de certo comprovamos tais façanha e atos singulares; O nosso mestre, assim como nós o tratávamos procurou por toda sua vida ter conhecimentos aprofundados em diversas ÁREAS, dai se tornar um INTELECTUAL IMPAR, onde nos dizia:( o meu hobby é apenas a CULTURA e a EDUCAÇÃO PLENA, pois sempre dizia conhecimentos é bastante diferente de EDUCAÇÃO, esta é a síntese de todos os conhecimentos e ainda sendo ÉTICO, aliás esta também uma “JOIA RARA” ou seja disponível para poucos: E que os outros fiquem com a $$ as banalidades, e futilidades desta vida, pois minha “MORADA” de verdade será outra, e que já me encontro preparado para tal, evidente com a permissão de DEUS) e depois para semeá-los evidente, sem ser “egoísta” como outros, visando o aprimoramentos dele e principalmente de tantos “ainda necessitados” ou cegos “de caminhos ou decisões” em fim, impedidos de chegarem em “suas próprias casas”, procurou ser coerente em tudo, alis sempre me relatava, esta palavra é muito fácil de ser falada, mais muito difícil de TER TAL (COERÊNCIA), e assim como outras máximas dele esta com certeza me marcou; Más assim como o sábado de aleluia foi trágico, não digo o mesmo do domingo de pascoa, pois depois de nossa impotência diante desta que é o nosso maior terror, estava já nos demostrado que aquilo era os desígnio de Deus, e contra estes não existe estratagemas possíveis…apenas pressentir que tudo era para ser assim como realmente foi, pois, aquela sequência matemática e lógica, ou seja, Dona Alzira, sua esposa, logo após o seu irmão ARI (seu Ari para mim) que o mesmo o carregou no colo em épocas passadas, e dai 22 dias o mesmo, estava ai o auspícios dos DEUSES, pois era a “mão do senhor” agindo sutilmente, por aquele que procurou por décadas ser o seu FIEL escudeiro de verdade, o nosso MESTRE MAIOR, pois apesar da irreparável falta, “partir” num domingo da PASSAGEM (Pascoa), no mesmo dia que o nosso JESUS, foi ao encontro do seu criador?, realmente faz nos faltar argumentos possíveis, para tais fatos, apenas elucubro que” esta viagem” já estava marcada com antecedência secreta; Resta-nos agora, assim como JESUS delegou para os seus discípulos, pregarem “as boas novas” indistintamente,( como não desejavam os JUDEUS da época), resta-nos preservarmos os seus LEGADOS, o ideal , se fossemos todos nós desta terra, pois escolheu a mesma como a sua primeira PAIXÃO. mais com certeza vc e poucos escolhidos pelo o mesmo sabem muito bem quais, até ouso-me a dizer que alguns deveriam saber, até acho que percebem tais, mais a ganância, a conveniência desregrada, a tal falta de coerência vos impedem e “vos fazem” seres mais que errantes, imprudentes, e vulneráveis como tantos incautos, aliás recorro-me para mais uma de suas máximas, Abyssus abyssum invocat (um abismo sempre atrai outro idêntico ou pior) paciência, irão demoram bem mais para “as fichas caírem de verdade”; se caírem?? Concluindo…, Deus foi muito generoso conosco, ter nos dado ELE “de presente” por isto é “dever” nos SEMPRE…. “o TER”,. Me despeço, orando e pedindo muitas para o mesmo; Uma “um dia inteiro” de palmas para ele, pois é digno de TAIS; Para os pensam o contrário ou não concordarem com os meus ditos, recorro-me humildemente ao cineasta Nelson Rodrigues, TODA UNANIMIDADE É BURRA, portanto estejam livre para pensarem e julgarem como quiserem, pois pensarmos a agirmos como manadas é ruim, assim também ele achava!!! Valeu professor de verdade…………………………………………………………………aliás me desculpe, MESTRE, kkk, vai com as DEIDADES, com certeza sim!!!

  2. Aníbal Cajado O. Neto

    Me desculpem, enviei o texto sem a mínima correção, vou puxar “a orelha” do revisor,kk: ler-se, viveu neste planeta; ler-se, demonstrando, ler-se aliás, ler-se e agirmos, e acrescentem umas duas vírgulas, que faltaram, depois de dois vocábulos, kk, me perdoem os gramáticos “de plantão; Como disse anteriormente, não tenho como esquecer DELE, simplesmente indelével, oh MESTRE, ele sempre dizia,- esta nossa “língua portuguesa” é um perigo, ela é muito “traiçoeira” até para os mais “eruditos”, pois acham que sabem, mais muitas vezes se “omitem” também,kkk!

  3. Aníbal Cajado O. Neto

    Me desculpem, enviei o texto sem a mínima correção, vou puxar “a orelha” do revisor,kk: ler-se, viveu neste planeta; ler-se, demonstrando, ler-se aliás, ler-se e agirmos, e acrescentem umas duas vírgulas, que faltaram, depois de dois vocábulos, kk, me perdoem os gramáticos “de plantão; Como disse anteriormente, não tenho como esquecer DELE, simplesmente indelével, oh MESTRE, ele sempre dizia,- esta nossa “língua portuguesa” é um perigo, ela é muito “traiçoeira” até para os mais “eruditos”, pois acham que sabem, mais muitas vezes se “omitem” também,kkk!

Os comentários estão fechados.