“Índice da Ignorância”: brasileiros ficam quase no topo. Pesquisa aponta a falta de percepção diante a realidade.

Este índice mostra como é importante o hábito da leitura e o saber sobre a realidade do mundo em que vive, e os números, estatísticas, previsões, etc traduzem a realidade. Vamos fazer um simples teste com você que mora em Macaúbas:

01- Você sabe quantos distritos exitem em Macaúbas?

02- Você sabe dizer quantos aposentados tem o município?

03- Você sabe dizer quantas pessoas trabalham com carteira assinada? 

04- Você estima quantos pessoas morrem ou nascem em Macaúbas?

05- Você saberia informar quantos por centro da população estão abaixo da linha da pobreza?

06- Quanto de recurso público recebe a Prefeitura e/ou qual é o valor do orçamento de 2019?

… E olha que estes dados estão disponíveis em diversos sites na internet – no entanto, a pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos, muda a cada ano as perguntas feitas nos países que fazem parte do estudo, envolvendo desde temas sobre economia, ecologia, sociologia entre outros… Na verdade, até o Poder Publico local e/ou muitos de seus servidores não têm conhecimentos de dados de sua própria área de atuação, para fazer um teste, tente ir em um órgão do município a procura de um dado, números, etc…

E os brasileiros, ficam entre países de menor desenvolvimento, uma amostra que, se estamos na internet, o nosso conteúdo visto, é de baixa qualidade.

Veja nota no portal Uol :

“O Brasil ficou em quinto lugar na nova edição do ranking que mede o quanto os países têm noção equivocada sobre a própria realidade. Chamada “Os Perigos da Percepção”, a pesquisa anual é realizada pelo instituto Ipsos. O estudo foi realizado em 37 países e se baseia em entrevistas com pessoas em cada um deles sobre o que elas acham sobre a realidade que vivem. A pesquisa então compara esta percepção com os dados oficiais. Quanto maior a diferença entre percepção e realidade, maior a “ignorância” da população –e por isso o ranking geral foi chamado originalmente de “índice de ignorância”. 

A cada edição, o foco das perguntas é diferente –portanto os rankings anuais não podem ser comparados uns aos outros ou serem vistos como evolução–, mas o Brasil esteve entre os líderes de percepção equivocada em todos os anos em que a pesquisa foi realizada. Em 2017, o país aparecia como o segundo país com menos noção sobre a própria realidade, atrás apenas da África do Sul. 

Na edição deste ano, o foco das perguntas tratou sobre temas relacionados à formação da população, imigração, segurança, criminalidade, comportamento sexual, violência sexual, saúde, economia, ambiente e outros temas. Em 2018, o Brasil ficou atrás de Tailândia, México, Turquia e Malásia. Os lugares em que a população tem uma maior noção sobre a realidade em que vivem são Hong Kong, Nova Zelândia, Suécia, Hungria e Reino Unido.

Essa falta de noção dos brasileiros sobre a própria realidade pode afetar até mesmo o funcionamento da democracia, segundo o ex-diretor de pesquisas do Ipsos, Bobby Duffy, autor do livro “The Perils of Perception: Why we’re wrong about nearly everything” (Os perigos da percepção: Por que estamos errados sobre praticamente tudo).

Em entrevista ao blog Brasilianismo, em setembro, Duffy indicou que candidatos extremistas tendem a se beneficiar da falta de noção da realidade. Ele também explicou que o problema não é exatamente “ignorância”, como dizia a pesquisa originalmente, mas o fato de que as pessoas acreditam ativamente em coisas factualmente erradas, têm uma percepção equivoca da realidade (chamada “misperception” em inglês)… “

 Fonte do texto:  ww.brasilianismo.blogosfera.uol.com.br


Os comentários estão fechados.