Incêndio nos arredores de Macaúbas pode ter sido criminoso e intencional, diz testemunha ocular!

Impunidade: é o combustível das queimadas!

Identificado como “incêndio florestal sem controle” por volta das 17h00 da fatídica parte de quinta feira, 16 – na região Leste da cidade de Macaúbas que ladeia a BA 156, nas proximidades do sitio Pintada, onde por ali, segundo consta informações preliminares onde teria iniciado as primeiras chamas, as quais estas, teriam sido criminosas e intencionais. Assim, afirma o servido público Gilson Figueiredo, funcionário do SAAE (autarquia do município que capta, trata e faz a distribuição das águas potáveis do município). Informa a testemunha que no crepúsculo desta mesma tarde, estava em serviço com um colega seu, e num dos corredores nas proximidade da Pintada, viu um cidadão de estatura mediana, de pele clara, usando um boné, tendo idade superior a 30 anos, ateando fogo no mato seco, tendo este em mãos tochas a qual espalhava o fogo em alguns pontos aleatório – visto e abordado, o cidadão saiu em fuga, foi perseguido, mas logrou êxito se embrenhando no mato e desapareceu como “fumaça” – e, deixando para trás, o incendiário, as chamas por ele provocadas!

No cardápio: calango assado. Aves de rapina fazem a festa!

Com este relato da testemunha, fica evidente que o fogo teve origem intencional e criminosa, ou não teria motivos para fuga o suspeito.  Na mesma linha da impunidade estão os “acidentes” de trânsito e os ambientais, este último, em Macaúbas nem se quer há queixas registradas nos órgãos de fiscalização e controle. Segundo a testemunha, o fato foi relatado a Secretaria de Meio Ambiente.

Foram devastadas mais de 100 hectares, destas a maioria capim seco, e algumas hectares de mata virgem que eram preservadas  no terreno da família do saudoso Betinho da Farmácia, além de boa parte nas terras do ex-prefeito Sebastião Nunes, não foi registrada perda de gado ou animais de grande porte, como tem sido noticiado. A imagem é de desolação, ver-se aves de rapina por todo lado, se banqueteando de pequenos roedores, aves e repteis, os quais não conseguiram sair do inverno fervente das chamas. Espera-se das autoridades competentes que se apure as responsabilidades, e que possa ter uma efetiva campanha de conscientização e prevenção a ações como estas. A expectativa é que o município possa ser contemplado com um destacamento do corpo de bombeiros, e os movimentos já estão sendo articulados! O esforço agora é político!  


Os comentários estão fechados.