Energia mais cara no mês de agosto; como gastar menos com a conta de luz e aumentar a lucratividade.

Sua empresa mais lucrativa e competitiva

Para quem administra uma empresa, o malabarismo entre receitas e despesas muitas vezes implica em cortar gastos. E a conta de luz é um dos principais vilões do lucro.

Desde o início do mês de agosto a bandeira tarifária da conta de energia elétrica está mais cara. Isso quer dizer que quando a fatura da energia chegar, teremos que desembolsar mais dinheiro. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a bandeira vermelha está no primeiro patamar, sendo assim, as contas de luz terão uma cobrança extra de R$ 4 reais a mais por cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.

Para este aumento, os consumidores têm duas alternativas, a primeira delas é lamentar e mudar os hábitos de consumo; ou continuar usando a energia e pagar mais caro, inevitável. Mas como pensar em economizar num ambiente empresarial/comercial, em que os gastos com energia elétrica giram a roda da economia. Pagar mais caro, significa obter menos lucros ou muitas vezes replicar para os clientes os aumentos no produto final.

Saiba que alternativas sustentáveis são cada vez mais acessíveis e estão chegando no mercado, trazendo para o consumidor doméstico e empresarial, opções para gastar menos com a conta de energia elétrica. Segundo o engenheiro eletricista responsável pela Andrade Pereira Engenharia Elétrica, Felisberto Júnior, o uso da energia solar em empresas é cada vez maior. “Com economia possível de até 95% na conta de energia elétrica o comerciante pode aplicar os recursos da redução para os clientes. Num exemplo viável, um empresário que economiza cerca de 3 mil reais na conta de energia, pode converter esse valor em promoções, sorteios de produtos”, evidencia Felisberto.

No sistema de funcionamento das bandeiras tarifárias, as cores verde, amarela ou vermelha indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração. Ainda de acordo com a Aneel, o aumento do custo de geração está ligado principalmente ao volume de chuvas e ao nível dos reservatórios. Com o sistema que substitui o consumo de energia elétrica gerada pela rede convencional, por meio das placas fotovoltaicas o investimento e consequentemente a economia no médio e longo prazo resultam num melhor equilíbrio entre as receitas e lucros. “Essa forma de obtenção de energia, é uma das mais promissoras atualmente, vem crescendo cada vez mais em virtude da redução dos preços e dos incentivos oferecidos para que os países adotem fontes renováveis de energia” , concluiu Felisberto.


Os comentários estão fechados.