Eleitores de Macaúbas: 50,19% são mulheres, 72% não têm o Ensino Fundamental completo e apenas 0,70 tem o ensino Superior.

 

Gráficos: www.eleicoesepolitica.net

Porém, uma realidade que reflete principalmente os municípios nordestinos e por toda região do Vale do Paramirim, os números são coincidentes, com pequena variação. Dados estes que deveriam estar sobre a mesa dos gestores municipais e seus secretários. Nossa região tem o pior IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) e Macaúbas tem um dos piores da Bacia do Paramirim, com 0,609 (médio), já o IDH de Macaúbas em Educação 0,513 (baixo), conforme dados do IBGE (2010). Com 50.987 habitantes, ocupa a 48ª posição em população do estado da Bahia, tem 34.175 eleitores, o que representa 67% de sua população.

Segundo informações do TSE 17.153 do eleitorado é do sexo feminino, que representa 50,19%, e na Câmara de Vereadores tem apenas uma mulher, ou seja menos de 1% das cadeiras. Outro dado importante é que 72% do eleitorado não tem o Ensino Fundamental completo e apenas 0,70%¨tem o curso superior completo. Na verdade estes 72% do eleitorado de Macaúbas, são considerados Analfabetos Funcionais (aqueles que não têm o domínio pleno da leitura), um termo “achado” para reduzir o número do analfabetismo do país… Pois, a definição de alfabetizado é diferente para países de culturas menos e mais exigentes; como nossa tolerância é “medíocre“, saber assinar o nome já é o suficiente…

Fato é que um médico não pode prescrever um medicamento sem ter um diagnóstico preciso do paciente. Esta deveria ser a lógica do pensamento dos gestores públicos: conhecer suas populações e direcionar ações. Mas, falta nesta população, onde sua maioria (72%), não tem o mínimo senso político, educacional, cultural para se posicionar; pior ainda, suas representações sociais são frágeis, fragmentadas e até certo ponto controladas… Em suma: o Brasil, não tem jeito a curto nem a médio prazo se o investimento maior não apontar a EDUCAÇÃO, como sua alavanca principal. E não é diferente para Macaúbas.


Os comentários estão fechados.