* Por Joe Kallif 

“Macaúbas vivencia uma mobilização em prol da permanência da instituição de ensino “Colégio José Batista”.
Há tempo a decisão de fechamento foi “ventilada” pelo Governo do Estado da Bahia, mas a “machadada” veio somente após as eleições.
Configurou-se, então, uma grande traição, pois Macaúbas ajudou (maciçamente) a reeleger o atual governador.
O absurdo está na falta de diálogo com o povo macaubense! Como os gestores (municipal e estadual) puderam negar esse direito?
A resposta está na sociedade macaubense que nunca procurou participar das decisões que envolvem o destino da cidade!
A ausência de exercício de cidadania traz efeitos negativos imediatos!
No início desse ano tive a oportunidade de dar muitas palestras sobre a necessidade do sanemento básico, com ênfase em esgotamento sanitário.
Lembro-me que um professor, do Colégio Aloísio Short, me mostrou uma “valeta” (dentro da escola), pela qual passava esgoto vindo de outro imóvel.
A atenção não pode ser dispensada somente ao Colégio José Batista, já que alunos são formados por todas as escolas!
Para completar esse quadro horroroso, temos a falta d’água.
Duas coisas são certas:
1- O esgoto a céu aberto acaba com o pouco de água que temos.
2- Sem água não há necessidade de escolas, tampouco qualquer outro tipo de atividade.
Observem o quão perigosa a situação de Macaúbas está!
Você continuará parado, com a boca escancarada, cheia de dentes e esperando a morte chegar?”

_______________________________________________________________

* Joe Kallisf é ativista social, ecologista e mobilizador pela implantação do sistema de esgoto sanitário de Macaúbas.


Também se posiciona diante da “possível desativação” do Colégio José Batista, a provisória do PSol em Macaúbas. Veja nota:

Nota Oficial do Psol Macaúbas sobre a possível desativação do CEPJBM

A comunidade macaubense foi surpreendida na data de ontem (29/10/2018) com a informação da possível desativação do Colégio Estadual Professor José Batista da Mota. Segundo informações, uma planilha foi encaminhada pela Secretaria de Educação do Estado da Bahia ao Núcleo Territorial da Bacia do Paramirim – NTE/12, dando conta de um parecer indicando a desativação do CEPJBM e a sua junção ao CETEP da Bacia do Paramirim. 
O resultado prático de tal medida é o fechamento e extinção do Colégio Estadual Professor José Batista da Mota. É cediço a qualidade do ensino da mencionada instituição e a importância desta para formação de cidadãos críticos. Além do mais, ao longo de sua história o CEPJBM tem sido certamente a ponte mais sólida e segura para os estudantes do nosso município galgarem o ensino superior.
Reconhecemos a importância das demais escolas estaduais da nossa cidade como instituições provedoras da educação, inclusive com a oferta do ensino técnico profissionalizante. No entanto, não podemos fechar as portas de um Colégio que abre ano a ano diversas portas e oportunidades aos macaubenses. Não podemos fechar as portas de uma Escola que é referência regional pela qualidade do ensino.
Não podemos fechar escolas, precisamos abrir escolas. Victor Hugo dizia que quem abre uma escola fecha uma prisão. Não podemos, definitivamente, aprisionar a esperança e os sonhos dos jovens macaubenses.
Não é razoável que uma medida desta natureza e com tamanho impacto seja adotada à revelia da população e da comunidade escolar.   
Convém mencionar o momento de retrocessos que a sociedade brasileira vivencia. Os direitos sociais são atacados a todo momento como sendo supostamente a única saída para equacionar as contas do governo. Nessa quadra, a aprovação da PEC 241, também conhecida como PEC do fim do mundo, que congela gastos com saúde, educação e assistência social por 20 anos, foi certamente uma das maiores derrotas do povo brasileiro, com o voto contrário dos parlamentares do PSOL.  
Nesse sentido, o Partido Socialismo e Liberdade de Macaúbas se solidariza com a direção do Colégio Estadual Professor José Batista da Mota, todo o corpo docente e discente, e toda comunidade macaubense, CONTRA a desativação do CEPJBM. 
Macaúbas/Ba, 30 de outubro de 2018
Direção Municipal do PSOL”

Há água no caminho! E uma pedra no “sapato”!

Hoje as redes sociais se tornaram o grade canal de comunicação, até presidente da república tem sido eleito devido as “forças da rede” e não é diferente com o cidadão comum, colocando a “boca no trombone” as autoridades ouvem e vêem… E este importante e democrático meio de comunicação vem auxiliando tando as comunidades e a própria administração público… Durante as últimas chuvas em Macaúbas, como é de costume diversas ruas do Bairro Figueiredo ficam inundadas, uma das maiores razões foi o “nascimento” errado do bairro, o qual teve origem de um LOTEAMENTO CLANDESTINO, o qual, certamente contou com a conivência do Poder Público…

Segundo o vereador Ricardo Costa, que em contato com o blog, disse ter tomado conhecimento da situação e que dentro de alguns dias a Prefeitura com sua equipe e maquinas farão um “trabalho de urgência” naquela localidade, dizendo que se trata ali de retenção de água devido a geografia do local, bem como tendo casas ali construídas em área de risco… E que fará a limpeza do local, disse que já manteve contato com proprietário de uma terreno baldio, o qual autorizou o aprofundamento do córrego para liberar as águas de chuvas que por ali empossa e forma essa imensa lagoa.

Há um “mar” na rua…

A Solução Definitiva do Problema:

Segundo Ricardo Costa, a pavimentação daquela rua já estava nas Planilhas de Obras da Prefeitura, só não foi feita porque precisaria ali fazer um canal para passagem das águas, bem como algumas indenizações de áreas particulares, que não tiveram ainda desfeche… Mas que Emenda Parlamentar já está sendo mobilizada para os custeios da obra que irá aumentar devido o tratamento que será dado as questões das águas pluviais…


Em Nota Oficial, publicada nas redes sociais no fim da manhã desta quinta feira, 31 de outubro o Sindicado dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia, através da APLB-Macaúbas, emite nota de repúdio ao que ele chama de “possível desativação” do Colégio Estadual José Batista da Mota. Veja nota:

 

“NOTA DA APLB SINDICATO – DELEGACIA DE MACAÚBAS SOBRE A POSSÍVEL DESATIVAÇÃO DO CEPJBM

A APLB Sindicato – Delegacia Regional da Chapada Diamantina de Macaúbas, como entidade representativa de classe dos Profissionais da Educação e comprometida com a formação dos educandos e a garantia do direito a educação pública gratuita e de qualidade vem repudiar a decisão da possível desativação do Colégio Estadual Professor José Batista da Mota, noticiada nesta segunda-feira, (29/10/2018). Segundo informações, uma planilha foi encaminhada pela Secretaria de Educação do Estado da Bahia ao Núcleo Territorial da Bacia do Paramirim – NTE/12, dando conta de um parecer indicando a desativação do CEPJBM e a sua junção ao CETEP da Bacia do Paramirim.

Consideramos esta medida uma afronta para toda comunidade macaubense que tem se beneficiado com excelentes resultados provenientes da qualidade dos resultados do trabalho desta instituição, que tem contribuido ao longo dos anos para a diminuição da distância entre os nossos jovens e os sonhos de um ensino superior, tornando possível as oportunidades de concretização desses sonhos, tendo cumprido sua função social na formação de cidadãos críticos.

Ademais, reconhecemos que as demais escolas estaduais tem cumprido o seu papel de acordo a missão de cada uma na garantia de educação pública de qualidade, inclusive com o oferecimento do ensino técnico profissionalizante. E todas tem a sua importância no contexto da Educação macaubense.

Dessa forma, não podemos concordar que muitos sonhos sejam ceifados antes mesmo de iniciar, e que a história do referido Colégio seja desfeita por tão cruel decisão.

Considerando que vivemos um momento crítico de retrocessos das nossas conquistas, inclusive com o congelamento dos investimentos na Educação, é de suma importância que nos posicionemos neste momento para garantirmos a manutenção de direitos sociais fundamentais, como é o direito a educação de qualidade.

Nesse sentido, a APLB Macaúbas se solidariza com toda a equipe do Colégio Estadual Professor José Batista da Mota, direção, professores, alunos, pais, funcionários e toda comunidade macaubense, CONTRA a desativação do CEPJBM.

Macaúbas/BA, 31/20/2018.
APLB Macaúbas.”


Após o caso do “suposto fechamento” do Colégio José Batista da Mota, tomar conta das redes sociais o blog manteve contato com a Assessoria de Comunicação da Secretaria da Educação do Estado da Bahia, solicitando posicionamento oficial diante das “desinformações” em torno do “reordenamento”, “fusão” “ou “nucleação” do Colégio José Batista com o CETEP. Em nota, a sua assessoria, se dirige aos interessados (os ESTUDANTES), veja nota:

 

“O Estado da Bahia assegura o atendimento a todos os estudantes do Ensino Médio nas escolas públicas da Bahia. 

Em relação ao Colégio Estadual José Batista da Mota, localizado em Macaúbas, a Secretaria da Educação do Estado da Bahia, esclarece que realiza estudos periódicos para reorganização da rede escolar, considerando a frequência nos últimos cinco anos, a capacidade de infraestrutura para atendimento das escolas públicas e a dinâmica de cada município, bem como a possibilidade de novas ofertas, por exemplo, a implantação de um Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC) na cidade.”

Assessoria de Comunicação

Secretaria da Educação do Estado da Bahia

Contato: 71 3115-9026/9025 – E-mail: [email protected]


De Brasília, “ligado” no que acontece em Macaúbas, o Prefeito de Macaúbas, Amélio Costa Jr. emite Nota de Esclarecimento sobre o suposto “fechamento” do Colégio Estadual José Batista da Mota… Veja nota:

Nota de Esclarecimento

“Comunico a todos os macaubenses que diante dos transtornos ocorridos em nosso Município de Macaúbas, em virtude das informações equivocadas envolvendo o Colégio Estadual Professor José Batista da Mota, que o Processo de Reordenamento da Rede Estadual de Ensino pertence à Política Pública do Estado, e que não tem relação com as Escolas Municipais.
Em contato com os Órgãos competentes, fui informado que a referida Escola não irá fechar, e sim ser agregada ao CETEBP Bacia do Paramirim, criando dessa forma um grande Complexo Educacional em nosso Município, no qual serão disponibilizadas novas ofertas através de novos investimentos na Educação Estadual.
Os estudantes dessa Unidade Escolar permanecerão na mesma modalidade de Ensino (Ensino Médio) e no mesmo espaço físico.
E para ratificar, estive em reunião hoje(30/10/2018), com o Secretário Estadual de Educação, que também se encontra em Brasília, onde o mesmo assegurou que nenhum estudante da Rede Estadual deste Município sofrerá qualquer tipo de prejuízo na matrícula do próximo ano letivo.
E para que não ocorra nenhuma dúvida e gere maiores desencontros nas informações, na próxima quinta-feira (01/11/2018) dois técnicos da Secretaria Estadual de Educação estarão neste Município em reunião com os gestores envolvidos.”

Amélio Costa Júnior


O alerta veio da Secretaria de Meio Ambiente, onde pessoas não informadas e com técnicas rudimentares estão tirando o “sangue” e casca das árvores Mangabeira, veja nota:

Salva uns e morrem outros

Através de denúncia de colaboradores do meio ambiente, esta secretaria faz um apelo à comunidade macaubense, pelo motivo, que estão sendo retiradas cascas de árvores da especie Mangabeira, na região serrana do município, no intuito de colher látex branca abundante da árvore, para fins medicinais. Mas devido à grande demanda do produto, pessoas estão retirando de maneira indiscriminada a casca da árvore, de tal forma, como pode ser vistas nas imagens, que estão prejudicando a árvore causando doenças e a levando a morte.

Por este motivo, esta secretaria solicita o apoio e colaboração de todos, para que esses indivíduos sejam identificados, e/ou se apresentem a esta secretaria, para que os técnicos os orientem na retirada do material, sem prejudicar a árvore.

Estas árvores têm a floração de agosto a novembro com pico em outubro, e a frutificação em qualquer época do ano, mas principalmente de julho a outubro ou de janeiro a abril (Almeida et al., 1998), as tornando mais vulneráveis, devido ao enfraquecimento causado pela retirada das cascas, facilitando a entrada de agentes infecciosos.

 

Ficha da árvore:

Características Morfológicas

Planta lactescente, com 5-7m de altura, dotada de copa arredondada.

Tronco tortuoso, bastante ramificado, revestido por casca suberosa mais ou menos áspera, de 20-30cm de diâmetro.

Folhas simples, glabras nas duas faces, brilhantes, coriáceas, de 7-10cm de comprimento por 3-4cm de largura, de coloração avermelhada quando novas e ao caírem.

nflorescências fasciculadas, com flores perfumadas de cor branca.

Fruto baga globosa, glabra, com polpa carnosa e comestível, contendo muitas sementes.

Origem

A mangabeira (Hancornia speciosa Gomes) é uma árvore frutífera de clima tropical, nativa do Brasil e encontrada em várias regiões do País, desde os Tabuleiros Costeiros e Baixadas Litorâneas do Nordeste, onde é mais abundante, até os cerrados das regiões Centro-Oeste, Norte e Sudeste.

mangabeira é uma planta de clima tropical, vegeta bem em áreas com temperatura média anual em torno de 25ºC e chuvas entre 750 mm a 1500 mm anuais bem distribuídas. A planta tolera períodos secos e se desenvolve melhor em períodos quentes. Apesar de ser encontrada vegetando em solos arenosos, ácidos, pobres em nutrientes e em matéria orgânica, e de fácil drenagem, a mangabeira apresenta melhor desenvolvimento em solos areno-argilosos profundos e com bom teor de matéria orgânica.

A mangabeira multiplica-se por sementes; estas são obtidas de frutos somente maduros – colhidos ainda “de vez”. Estes frutos devem ser sadios, com quantidade de polpa de bom aspecto e colhidos de plantas precoces, vigorosas, isentas de pragas e doenças, e produtivas. Imediatamente após retiradas dos frutos as sementes devem ser lavadas para eliminação total da polpa e secadas à sombra sobre jornal por 24 horas. Devem ser semeadas até o quarto dia após a lavagem.

Fonte:

https://www.portalsaofrancisco.com.br/biologia/mangabeira


… Este é o prêmio Sr. Governador: fechar a escola?

 

reordenamento”: este foi o termo usado para se cogitar o fechamento de uma das melhores escolas públicas do interior da Bahia, o renomado colégio José Batista da Mota, que tem o melhor índice de aprovação e rendimento  do município e um dos melhores do interior do Estado. A notícia, “extraoficial” foi recebida pela comunidade como “clima de conspiração” e traição, visto que, a decisão vem apenas após 2 dias  do pleito eleitoral… Há quem diga que não era para “interferir” nas urnas!.. Outra decepção, é que Rui Costa, governador reeleito, teve mais de 82% dos votos dos macaubenses, e presenteia a cidade com tal decisão ainda não confirmada oficialmente! Lamenta uma estudante!

Alunos, pais e mães, professores e toda comunidade, estão boquiabertos com tal possibilidade que pode ser revertida se uma corrente for feita a favor não somente, do José Batista, más a favor da qualidade e excelência na educação e não somente “privilegiar” uma “economia” que poderá comprometer anos de investimentos, dedicação e aparelhamento do corpo técnico de uma unidade escolar premiada.

… Que “reordenamento é esse?

Segundo informações preliminares, o Colégio José Batista da Mota, seria fechado e seus alunos remanejados para outra unidade, promovendo desta forma o “enxugamento” dos custos com a educação. No entanto: …”Seria uma economia “mínima” visto que os “custos” seriam apenas transferidos para outra unidade, que não tem a mesma METALOLOGIA, GRADE CURRICULAR, PROFESSORES e ambiente que tem o José Batista“, diz um professor…

Professores e alunos estão preocupados com o seu fechamento qie pode  comprometer sensivelmente a qualidade do ensino que é motivo de preocupação de toda comunidade. E justificam que: …”O Estado deveria investir em educação, e com esta medida está na contramão, desmotivando e sucateando a educação de qualidade na Bahia” 

O melhor do Brasil: 

Em 2013, alguns alunos do Colégio foram premiados na  Olimpíada Brasileira de Física (Clique aqui e  veja matéria da Secretaria da Educação), em Salvador receberam cumprimentos do então Secretário da Educação Sr. Osvaldo Barreto. E agora recebem esta notícia como “prêmio extra”!.. 

Nenhuma nota oficial foi expedidas pelas autoridades da educação do Estado, o blog tentou manter contato com a Secretaria da Educação, mas não obteve sucesso. No entanto, espaço fica aberto para interessados através do e-mail da redação do blog: [email protected]