Em contato com a redação do blog, a Associação dos Irrigantes do Vale do Paramirim, através de sua Assessoria de Imprensa, emite nota sobre manifesto que será realizado neste domingo, 17, em defesa das águas da barragem do Zabumbão. O blog não consegui manter contato com órgãos do governo do estado e partes outas envolvidas. No entanto, o blog dispensa mesmo espaço para interessados, através do seu e-mail: [email protected]

Barragem do Zabumbão (Imagem cedida por: Josilete Porto)

Veja nota:

 

“A barragem do Zabumbão, localizada no município de Paramirim, foi construída na década de 1990, pela Codevasf, e tem como objetivos perenizar o Rio Paramirim, contribuir para o desenvolvimento da agricultura irrigada e abastecer a população local com água potável.

O reservatório possui capacidade máxima para acumular 60.800.000 m3 de água e atualmente atende habitantes de Paramirim, Caturama, Botuporã e Tanque Novo, totalizando cerca de 60 mil pessoas. Importante mencionar que diversas localidades desses municípios ainda não são abastecidas. Atualmente, graças as chuvas inesperadas em 2020, há aproximadamente 30.000.000 m3 armazenados no lago (cerca de metade da capacidade). Vale ressaltar que, há pouco tempo, em 30/12/2019, a barragem contava com apenas 11.101.000 m3 (18%). Segundo estimativa, o consumo mensal com abastecimento humano, irrigação, infiltração e evaporação é, em média, de 700.000 m3 ao mês . Para piorar, soma-se a tudo isso a baixa precipitação pluviométrica na região.

Apesar da situação crítica, que já vem de muito tempo, em 2015 o Governo da Bahia anunciou uma licitação com o objetivo de implantar uma adutora para levar água do Zabumbão a vários outros municípios da região, como Boquira, Ibitiara, Ibipitanga, Macaúbas, Rio do Pires e Oliveira dos Brejinhos. Se entrasse em operação, a barragem, que na época atendia 56 mil pessoas, passaria a abastecer mais 196 mil, totalizando 252 mil habitantes abastecidos. A vazão pretendida pelo Governo era de 423,9 litros por segundo, 21 h/dia, 30 dias/mês, resultando num volume mensal de 961.380 m³ e anual de 11.696.690 m³. Para se ter uma ideia da gravidade da proposta, em 31/10/2014 havia apenas 31.967.000 m3 no lago. Caso a região passasse por longo período de seca, como é de costume, a médio prazo o funcionamento daquela adutora poderia, literalmente, secar a barragem. Evidentemente, não havia qualquer viabilidade técnica.

Naquela época, as populações de Paramirim, Caturama, Botuporã e Tanque Novo se uniram e promoveram uma grande manifestação contra a obra. Pressionado, o Governo da Bahia suspendeu a licitação e firmou alguns compromissos com a sociedade para, somente depois, voltar a discutir sobre uma adutora viável. Entre esses compromissos estava: 1) Construção do Plano da Bacia dos Rios Paramirim e Santo Onofre; 2) Eletrificação das margens do Rio Paramirim, para possibilitar a modernização da irrigação e assim evitar desperdícios da água; 3) Construção da barragem do Rio da Caixa, que seria capaz de armazenar 25.000.000 m³; 4) Construção da barragem do Rio dos Remédios, que seria capaz de armazenar 15.000.000 m³; 5) Implantação do esgotamento sanitário de Érico Cardoso, visto que ainda é despejado esgoto na barragem. Infelizmente, porém, até o momento, apenas o primeiro desses cinco itens foi cumprido. Quanto aos demais, não há sequer expectativas de que serão postos em prática.

Apesar disso, agora em 2021, seis anos depois, espantosamente o Governo da Bahia, sob a mesma gestão, abandonou a palavra empenhada em 2015 e, num ato autoritário, sem consultar a população, anunciou novamente a construção da adutora. Desta vez, para evitar reações da população, a vazão prevista foi reduzida para 82 litros por segundo. Nada impede, porém, que esse número seja aumentado após a implantação. Em tempo recorde, a licitação foi lançada e um consórcio de empresas foi declarado vencedor por mais de R$ 186 milhões. Diferentemente de 2015, quando a licitação foi suspensa no início, hoje estamos na iminência da assinatura do contrato e da ordem de serviço para início das obras. Tudo foi feito de forma a evitar a mobilização popular.

Há um temor unânime de que, após a construção da adutora, o Governo da Bahia abandone definitivamente a ideia de construir as barragens do Rio da Caixa e do Rio dos Remédios, que, conforme estimativas, sozinhas conseguiriam abastecer, com folga, todos os municípios que hoje enfrentam escassez de água. Infelizmente, porém, no momento não temos nenhuma garantia de que esses reservatórios serão construídos. Não existem sequer projetos prontos.

Ressaltamos que não somos, de forma alguma, contrários ao abastecimento dos nossos vizinhos. Estamos, porém, convictos de que há alternativas mais viáveis, tanto do ponto de vista financeiro como de segurança hídrica, a exemplo da construção das barragens do Rio da Caixa e do Rio dos Remédios e até mesmo uma adução direta a partir do Rio São Francisco (do município de Ibotirama ou de Paratinga), cerca de 80 km somente das cidades a serem beneficiadas. Construir a adutora Zabumbão-Boquira colocará em risco não apenas o abastecimento dos atuais usuários, mas também dos habitantes dos demais municípios. A barragem não conseguirá atender quase 200 mil pessoas. Em alguns anos, ninguém terá água.

É, portanto, com o intuito de tentar barrar novamente essa obra inviável que a Frente Popular em Defesa do Zabumbão, movimento formado por membros da sociedade civil e representado juridicamente pela associação dos Irrigantes do Vale do Paramirim, irá realizar outra grande manifestação popular com a participação dos habitantes dos quatro municípios abastecidos pelo Zabumbão.

Além da adesão massiva da população, o movimento já conta com o apoio de importantes entidades da sociedade civil desses municípios, como a Associação Comercial e Industrial de Paramirim (ACIPA), Associação comunitária de Várzea Redonda, Riacho do Pilão e Lagoa da Palha (Paramirim), Associação comunitária do Grama (Paramirim), Associação dos Irrigantes de Feira Nova (Caturama), Associação dos Irrigantes do Vale do Paramirim, Associação dos Pescadores de Vila Nova (Paramirim), Câmara Municipal de Caturama, Câmara Municipal de Paramirim, Escola Família Agrícola (Paramirim), Igreja Católica de Paramirim (Paróquia de Santo Antônio), Loja Maçônica de Paramirim, ONG Zabumbão, Comitê da Bacia Hidrográfica dos Rios Paramirim e Santo Onofre (CBHPASO), Presidência da Câmara Municipal de Botuporã, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Paramirim, entidades empresariais e outras.

A manifestação está prevista para acontecer no próximo domingo, 17 de outubro de 2021, em Paramirim. A concentração será em frente à rodoviária da cidade, com saída às 7h. Serão percorridas a Av. Macaúbas, Av. Botuporã e Av. Aurélio Rocha, e o término acontecerá na Praça Santo Antônio.”


Avenida Flores da Cunha, Macaúbas, Bahia, Brasil, America Latina… (06/08/2021)

 O Código de Postura do município de Macaúbas é claro: passeio público deve ter no mínimo  1,5m de largura, esta desimpedido e em bom estado de conservação, o qual deve ser mantido pelo proprietário do imóvel. No entanto, um olhar mais “apurado” e imparcial ver-se tanto em Macaúbas como em boa parte das cidades brasileiras e dos países de quinta categoria, que a realidade não corresponde com os “códigos”. E corrobora a isso, a falta de cobranças e exigências da comunidade e mais ainda, FALTA FISCALIZAÇÃO por parte do Poder Público local e isso não é de hoje, é HISTÓRICO, ou seja: desde sempre!...

Avenida Flores da Cunha, Macaúbas, Bahia, Brasil, América Latina!

Na manhã desta ensolarada sexta feira, 06 de agosto de 2021, na Avenida Flores da Cunha, na altura do Posto Azevedo, onde tem um passeio público com mais de 2 metros de largura um cidadão flagrou duas cenas “comuns” e “toleráveis” em Macaúbas: a primeira, obrigando o pedestre, neste caso da imagem uma senhora a sair da segurança do passeio público e transitar pela rua, segundo consta o material de construção há dias que lá estar… Já mais a frente numa esquina um carro estacionado sobre o passeio público, dizem  que habitualmente ali é visto… Cenas como estas são comuns por toda cidade, além de ser comum a péssima qualidade dos passeios, mal conservados e cheios de “arapucas” e armadilhas, causando, como tem causado acidentes a pedestres, principalmente idosos que frequentemente têm menos reflexos, mobilidade e atenção… É necessário um “olhar” e agir diferente por parte das autoridades locais bem como de toda comunidade!

O blog não consegui manter contato com os proprietários do material de construção bem como do automóvel, para que os mesmos possam “justificar” tal comportamento, o espaço fica aberto! Bem como fica aberto para a autoridade pública se assim a sensibilizou, e que a comunidade possa cobrar, denunciar e exigir seus direitos, tendo como Norte o seu dever! O qual este, antecede o outro!


O usuário por algum motivo e nesta pandemia o que não faltam são motivos devido a perda de renda das famílias brasileiras e mais ainda a perda de empregos e salários, com isso, alguns compromissos e contas deixam de serem pagas, uma delas é a conta de água… E quando isso acontece, muitas das vezes as concessionárias vão lá e “cortam” a água do usuário por falta de pagamento, e este se quiser ter a água de volta terá que pagar um TAXA DE RELIGAÇÃO em certos casos outra não menos comum que é a taxa de corte, o cara não tem dinheiro nem para pagar as contas e terá que pagar para “cortar”! Esta última não se tem informações se é cobrada em Macaúbas.

E assim, solicitou ao SAAE de Macaúbas, o vereador Nito Araújo, o fim da taxa de religação, através de ofício supra. O SAAE ainda não retornou a solicitação do edil que foi feita nesta segunda feira, 24 de maio.

 


Em contato com a redação do blog, a Assessoria de Comunicação da Associação Comercial de Macaúbas, trás informações dos primeiros 30 dias da nova diretora, para conhecimento dos associados e de toda comunidade. Veja:

“E o que ACIMAC faz?

A Diretoria Desenvolvimento, Diálogo e Ação- 2021-2023, está com 30 dias de posse da nova gestão e para isso vamos apresentar os principais pontos ocorridos neste curto prazo para que vocês conheçam e participem dos projetos em prol a todos. Para quem não acompanha os informes digitais e nossas redes sociais, lembre-se que estamos disponíveis nos números 77 99958-5016 ou pelo whatsapp 77 99090-0610 para melhores informações e esclarecimentos.

Iniciamos o mês de abril com adesão do Programa Capacitar, para melhoramento da ACIMAC com gestão da entidade, desenvolvimento da cultura associativa, diversificação e ampliação do portfólio de produtos e serviços, relacionamento e representação institucional e desenvolvimento local, através da parceria do SEBRAE e Faceb. Realizamos o diagnóstico e agora estamos na etapa de pesquisa de mercado. Alguns de vocês já responderam uma pesquisa que abordará tanto associados como não associados, totalizando 200 empresas. Ainda esse mês iniciaremos a etapa de Planejamento Estratégico e teremos agenda de ações até dezembro de 2021.

Houve também reuniões para alinhamento e encaminhamentos para a nova Gestão Pública Municipal com apelos aos decretos municipais, permanecendo com 60 dias de comércio aberto. Lembramos a todos para não afrouxar com as medidas de proteção em seu comércio, lembrando em ter sempre disponível álcool em gel, uso obrigatório de máscaras e evitar aglomerações dentro dos estabelecimentos, além de uma boa higienização do local. Isso é muito importante para defendermos a classe.

Estamos com o atendimento mensal da Analista Sebrae em nossa entidade. Para solicitar o diagnóstico digital, caso tenham interesse, ela estará atendendo nos dias 27/05 em Boquira e 28/05 em Macaúbas. Também houve início dos atendimentos do Programa Negócio a Negócio, mais uma parceria com Sebrae e exclusivos para associados. Realizamos seleção de pessoas para empresas associadas e divulgamos mais de 40 empresas em nossas redes sociais.

Conseguimos a inclusão da Sala do Empreendedor para atendimento em um só lugar aos empresários de Macaúbas e região, na sede da ACIMAC, onde já funciona a JUCEB, emissão de Certificado Digital, serviços exclusivos do SPC Brasil (maior empresa de banco de dados para proteção de crédito da América Latina) suporte ao empresário e ao consumidor com o GRN Cred, além de outros parceiros. Sua contribuição estatutária colabora para manutenção destes serviços.

Criamos e apresentamos nossas novas marcas dos Conselhos de Boquira, Ibipitanga e de Jovens Empreendedores. A diretoria da ACIMAC e CJE estão em fase final para apresentação de um novo serviço aos empresários com foco na geração de renda, emprego e trabalho para os jovens em Macaúbas, que é o programa de estágio regulamentado com a empresa Estágio Integrado do Brasil -EIB, mais uma importante parceria que vai trazer para empresário economia e para os jovens mais oportunidade.

Segue os nomes dos integrantes da nova diretoria para que todos os conheçam. Estamos sempre de portas a abertas para recebe lós e conhecer nossa estrutura. Participem e aproveitem todos os nossos serviços e benefícios. É muito importante o acompanhamento dos informes pelo grupo dos associados e também na rede social da entidade @acimac.macaubas, além de informes e visitas comerciais que realizamos todo mês e caixa de diálogos nas redes sociais, na sede da associação, ouvidoria para ouvir suas sugestões, críticas e ideias.”

(Fonte: Assessoria de Comunicação da Associação Comercial de Macaúbas) 

 

Presidência
1º Presidente Leonel Gomes Mendonça
1ª Vice-Presidente Roselene Defensor Araújo
2º Vice-Presidente Cláudio Assunção S. Oliveira
Secretaria
1ª Secretária Maridalva Cardoso B. Fraga
2º Secretario José Chaves Pereira
Diretoria Jurídica-Financeira
1º Diretor – Tesoureiro Reginaldo Dantas de Souto
2º Suplente -Tesoureiro Irineu de Almeida Bastos
Diretor de Comunicação e Integração
1ª Diretora Rosania D. de Souza Seixas
2º Suplente EreiltonA.Rêgo Costa
Diretoria de Planejamento, Projetos e Desenvolvimento Econômico – PPD
1° Diretor Joseilto Pereira Lopes
2ª Suplente Luciane M. Chaves Prado
Conselho Fiscal
Cons. Fiscal Eulange C. Rocha Menezes
Cons. Fiscal Anderson Luiz de Oliveira
Cons. Fiscal Ana do Carmo P. da Rocha
Cons. Fiscal Márcio Leão Domingues
Conselho de Jovens Empreendedores – CJE
Presidente Diogo Bastos Fraga
Diretora Financeiro Saionara N. S.S. Azevedo
Secretária Luciara M. de Oliveira
Suplente Raelson Souza Silva
Conselho do Comércio e Industria de Boquira – CCIB
Presidente Janette Cristina Cortês
Diretor Financeiro Jânio Boeno dos Dantos
Secretário Lúcio Fernandes P. da Silva
Suplente Ordálio Silva Júnior
Conselho do Comércio e Industria de Ibipitanga – CCII
Presidente  Roques José Pereira
Diretora Financeiro Olgair S. Silva Macedo
Secretária Ariaguina P. P. Miranda
Suplente Manoel Orlando de S. Reis
Conselho Consultivo
Cons. Consultivo José Almir da Silva
Cons. Consultivo Adailson Souza Pires
Cons. Consultivo José Carlos Roque Oliveira
Cons. Consultivo Alécio Brandão

 


Segundo dados e pesquisa de autoridades em saúde no Brasil, caso o ritmo de vacinação continue como o visto atualmente, o Brasil, poderá levar até 2 anos para concluir a vacinação de sua população com as duas doses. Ontem foi anunciado pelo Ministério da Saúde que cerca de 1,5 milhões de idosos não retornaram para tomar a segunda dose, o que deixa uma lacuna perigosa no sistema de imunização, diz especialista.

Marciel que mais vacinas!

Em Macaúbas por iniciativa do vereador Marciel Costa Souza, deverá tramitar na sessão desta quinta feira, 15 o Projeto de Lei de sua autoria que autoriza a compra de vacinas Covid-19 por parte do município de Macaúbas, veja abaixo o projeto de lei na integra.

 

Indicação Legislativa de Projeto de Lei nº xx/2021, de 16 de março de 2021.

Autoriza o Poder Executivo a realizar a compra de vacina com eficácia comprovada contra o novo coronavírus (Covid-19), aprovadas pelas ANVISA, e dá outras Providências.

 

O PREFEITO MUNICIPAL DE MACAÚBAS, Bahia, no uso de suas atribuições legais, e com supedâneo na Lei Orgânica do Município de Macaúbas, faço saber que a CÂMARA MUNICIPAL DE MACAÚBAS aprova e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1° – Fica o Executivo Municipal autorizado a realizar a compra de vacinas com eficácia comprovada contra o novo coronavírus (Covid-19), aprovadas pelas ANVISA, a fim de garantir a cobertura total da população do Município de Macaúbas contra o Covid-19, excetuados aqueles grupos não abrangidos pelos estudos de eficácia da vacina.

Art. 2º – O Executivo Municipal fica autorizado a instituir ou participar de consórcios com Estados e/ou Municípios da Federação, a fim de compartilhar recursos e tecnologias, realizar pesquisas ou desenvolver a capacidade de produção local de vacinas, especialmente por intermédio de órgãos e instituições públicas.

Art. 3º – A vacinação no Município de Macaúbas deve seguir o Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra o Covid-19 e/ou poderá seguir o Plano Municipal de Vacinação contra o Covid-19, se existente.


De acordo com a Organização Mundial da Saúde, no período de quarentena devemos realizar atividades que melhorem ou mantenham nosso sistema imunológico fortalecido.

Você sabe o que é o sistema imunológico?

O sistema imunológico, também chamado de imune ou imunitário, é o conjunto de células, tecidos, órgãos e moléculas responsáveis pela retirada de agentes ou moléculas estranhas ao organismo.

O funcionamento do sistema imune depende da resposta coletiva e coordenada das células e moléculas diante dos agentes estranhos!

O sistema imune é dividido em dois tipos de imunidade:

▪ imunidade inata ou natural

▪ imunidade adquirida ou adaptativa (essa nós conseguimos melhorar ao longo da vida!

Hoje já se sabe que o exercício físico provoca alterações funcionais no sistema imunológico…

Mas você sabia que diferentes tipos e cargas de exercícios podem provocar alterações distintas nos parâmetros imunes?

Alguns estudos vêm demonstrando que o exercício moderado parece estar relacionado ao aumento da resposta dos mecanismos de defesa orgânica; enquanto que o exercício mais intenso e prolongado ou o treino excessivo parecem enfraquecê-la.

“Como vou saber se o exercício está sendo moderado ou intenso?”

Isso vai depender muito do tipo, duração, carga e principalmente do seu condicionamento físico. Por isso o acompanhamento de um profissional é tão importante! Ele conseguirá medir a intensidade do seu treino e recomendar o mais adequado para beneficiar a sua saúde!

Em tempos de pandemia, em que mais do que nunca a imunidade precisa estar funcionando 100%, uma boa alimentação aliada a um exercício moderado podem fazer total diferença na resposta do seu organismo ao vírus!

Tem alguma dúvida? Comenta aqui embaixo!

www.santanafitstudio.com.br

Fonte: https://avr.ifsp.edu.br/files/COMO%20A%20ATIVIDADE%20FISICA

%20PODE%20AUXILIAR%20NA%20PREVENCAO%20DA%20COVID19.pdf


Dois termos que causam muita confusão nas pessoas são “descriminalizar” e “legalizar”, porque, normalmente, acredita-se que eles sejam sinônimos. Afinal de contas, se algo deixa de ser crime, também se torna legal, não é mesmo? Bem, não é bem assim que as coisas funcionam em nosso país. De acordo com nossa legislação, legalizar e descriminalizar são institutos completamente diferentes.

Assim, legalizar é o ato de tornar uma conduta ou utilização de substância permitida pela lei, podendo haver restrições ao consumo e comercialização (no caso de substâncias, por exemplo). Neste sentido, podemos utilizar como exemplo o consumo de bebidas alcoólicas e tabaco. Seu uso é legalizado e não causa nenhuma espécie de punição, no entanto, essas substâncias não podem ser consumidas por menores de idade e nem vendidas a eles.

A descriminalização, por sua vez, ocorre quando algo deixa de ser crime. Ou seja, determinada ação deixa de sofrer punições criminais. No entanto, isso não significa que esta ação não sofrerá nenhuma punição no âmbito civil, já que ela continua sendo proibida. É o caso, por exemplo, da pichação, que é descriminalizada, portanto quem picha não é preso.

Ainda assim, a pessoa pode sofrer multas, como foi o caso do cantor canadense Justin Bieber, que pichou um muro no Rio de Janeiro em 2013.

O tema da descriminalização e da legalização voltou à pauta porque o STF (Supremo Tribunal Federal) voltará a discutir a pauta da descriminalização do porte de maconha para uso pessoal. Assim, se aprovada, o ato de portar a maconha, uma droga que, atualmente, é ilícita no Brasil, para uso pessoal não seja mais crime e, logo, também não será mais penalizada com a prisão.

Esta pauta é importante porque está no centro da discussão sobre o combate às drogas e ao narcotráfico, que é um dos responsáveis pelo aumento da violência, além de diversos prejuízos sociais.

Em um primeiro momento, este combate foi chamado de Guerra às Drogas, que foi endossada pelos presidentes norte-americanos Richard Nixon e Ronald Reagan, e consistia no armamento policial e em punições severas para os usuários de drogas. No entanto, a Guerra às Drogas foi vencida pelo narcotráfico e vários países procuraram outras maneiras de combater o uso de drogas.

Assim, muito países investiram em educação para que os jovens não consumissem entorpecentes, o que também não deu muito certo, já que muitos jovens continuaram a experimentar as substâncias ilícitas mesmo com informações sobre o assunto.

Por conta disso, vários países, como Portugal, Uruguai e Holanda passaram a descriminalizar o uso de entorpecentes. A Holanda, inclusive, durante algum tempo permitia o uso de maconha em lugares públicos – contudo, algumas cidades voltaram a proibir a prática um tempo depois, por conta do exagero de usuários.

Não existe uma saída única e fácil para essa questão, no entanto, o debate é extremamente importante para que a melhor decisão seja tomada.

Outro ponto importante é lembrar que o debate não é sobre a legalização das drogas, mas sobre permitir que as pessoas portem a droga maconha, única e exclusivamente, para uso pessoal sem que corram o risco de serem presas por isso. Ou seja, comercializar drogas ilícitas continuará sendo ilegal no Brasil.

__________________________________________________________________

Escritório de Advocacia Valença, Lopes e Vasconcelos.

Saiba mais: www.vlvadvogados.com/ 

 


Há mais de vinte anos foram jogadas pelos córregos e ruas da cidade os meu, o seu, o nosso cocó “in natura”, tornando as populações principalmente de muitos pontos da cidade vitimas de nossas “descargas” inconscientes e até certo ponto “desonestas” e o pode público das três esperas de governo, apáticas… E neste meio, um “punhado” de iluminados e muitos destes distantes das latrinas públicas das vielas e vales de Macaúbas, se incomodaram, se sensibilizaram pela dor e odor, nasceu assim o Movimento Saneamento Básico… E nada é mais básico que a saúde!…

Leia a carta, copie e cole, envie para o seu candidato, exija dele o compromisso, que ele insira em seu programa de governo ou em seus projetos no Legislativo Municipal… Ou ficaremos atolados no “in natura”…