* Por Irlando Oliveira
Analisando politicamente o Brasil no presente momento, percebemos, claramente, como o país degringolou nesses últimos anos sob a direção petista. As marcas indeléveis do caos podem facilmente ser identificadas na medida em que várias unidades federativas se dizem falidas e endividadas, com sérios problemas com suas respectivas previdências e folhas de pagamentos de seus servidores, inclusive com atraso e parcelamento dos salários já em alguns Estados.
Nos valendo do pressuposto de que todo efeito provém de uma causa, podemos de imediato inferir que esta foi por demais catastrófica, apresentando reflexos de uma gestão caracterizada sobretudo pela malversação dos recursos públicos, locupletamentos, corrupção desenfreada, tudo devidamente comprovado pelas diversas operações da Polícia Federal, com resultados já culminados em inúmeras condenações.
Nunca se viu o país com tantos problemas como na atualidade. Não se tem registro de obras superfaturadas como na gestão do PT — que o diga o prédio sede da Petrobras, aqui na Bahia, que, segundo o MPF, foi orçado em R$ 320 milhões e que custou quase R$ 1,2 bilhão, ou seja, 4 vezes mais —, lesando cada vez mais os brasileiros e concorrendo para a estagnação do Brasil. As Estatais, principalmente a nossa Petrobras, serviram de base para a consecução dos seus planos diabólicos e gananciosos de saques vultosos e insaciados ao erário, através de inúmeras práticas ilícitas, envolvendo propina e lavagem de dinheiro como jamais se viu no país, gerando enorme prejuízo à nação.
Na Bahia a situação não é menos lamentosa, pois, apesar de o governo asseverar que o Estado padece de dificuldades com suas finanças, atribuindo responsabilidade aos governos antes de o PT assumir — algo absurdo e que não pode prosperar, já que o nosso Estado é gestado pela esquerda há mais de onze anos, desde 2007 —, eis que ainda intenta inculpar os seus servidores, buscando retirar seus direitos e acrescendo mais despesas aos seus já apertados orçamentos. O incrível de tudo isto é o Estado antes das eleições gozar de excelente saúde financeira e, estranhamente, após a reeleição do petista, apresentar quadro de extremo déficit da sua previdência e dificuldades acerbas das suas finanças!
Diante de tantos dissabores, somente nos resta apostar e acreditar no novo governo federal, com a certeza da formação de uma equipe que concorra, através de uma gestão diferenciada, típica do espectro político da direita, para a inserção do Brasil em um novo contexto evolutivo, alçando-o, efetivamente, à condição de um país desenvolvido, anseio de todos nós brasileiros!
________________________________________________________________________________
* Irlando Lino Magalhães Oliveira é Tenente-Coronel da Reserva Remunerada da Polícia Militar da Bahia, escritor e ensaísta.

A chegada de um grupo de “motoqueiros”, visto que há diferença entre motociclistas e “motoqueiros”, sendo o primeiro definido como aquele que conduz uma motocicleta, de forma prudente e em conformidade às normas e segurança do trânsito, já o “motoqueiro”, apesar de terem na literatura o mesmo significado, em dado momento da história, o “motoqueiro” ficou sendo “carimbado” como aquele que não conduz sua moto de acordo às normas de segurança e legislação.

E empinar noto é crime?

Na verdade “empinar moto” desde que seja numa aprestação ou competição esportiva não é crime ou em lugar fechado para recreação ou treino. No entanto, empinar moto em vias públicas é crime, vista como “manobra perigosa” , conforme prevê o Código de Trânsito Brasileiro em seus artigos 308 e 311, considerada uma infração gravíssima e o seu autor tem 7 pontos negativos em sua habilitação, além da multa.

Comunicador diz que isso é comum (Imagem a partir de vídeo de Sergio Meira)

Neste fatídico  domingo, 09 de dezembro, no início da tarde, um grupo não maior que 20 “motoqueiros”, conforme informes de uma moradora do lugar em contato com a redação do blog:  “visitaram” o hoje o pacato  distrito de Cristais ou Santa Terezinha, e pelo centro da “cidadezinha”, arriscadamente fizeram “manobras perigosas”, podendo os mesmos serem vítimas de algum acidente e até fatal, bem como poderiam causar acidentes a terceiros… E o destino talvez seria a UPA de Macaúbas, onde poderiam “tomar” a sua vaga no Posto de Emergência, e você sem atendimento, por ter sido vítima de um AVC (acidente vascular cerebral) ou AC (ataque cardíaco), certamente morreria na fila, enquanto o “motoqueiro” (ou sua vítima de atropelamento) estaria sendo atendido por uma fratura na canela! É nisso que não pensamos! 

Sim, Cristais é um Distrito, Açude também! …

Após a elevação destes de povoado para distritos, ganharam segundo a legislação o “status” de Zona Urbana, quando no Censo Demográfico, serão contados como citadinos e não como moradores rurais… A Lei, também os conferem outros benéficos, como um Administrador Distrital, que seria um tipo “de prefeitinho da cidadezinha” veja e cobre isso das autoridades municipais:

01- “Status” de Centro Urbano;

02- Um Administrador Distrital;

03- Um posto dos Correios;

04- Um Correspondente Bancário;

05- Um Posto da Polícia Militar; 

06-

07-

Este número 05- poderia coibir este tipo de ação, bem como, nas palavras de Sergio Meira que fez a captura do vídeo, informa que em Cristais “tem um grupo local que pratica isso, não com tanto barulho assim””… Vídeo este transmitido ao vivo para o Planeta Terra… Talvez a PM, poderia alcançar em tempo hábil a “farra” que para uns é apenas um “esporte radical”, para para a legislação isso é vandalismo! A identidade dos “autores” do feito não foi revelada pela leitora do blog, nem tanto a origem dos mesmos!

Veja vídeo publicado em rede social por Sérgio Meira,

Posted by Sérgio Meira on Sunday, December 9, 2018


Foto: Luza/Yoan Valat
* Por Irlando Oliveira
No país berço da tríade liberdade, igualdade e fraternidade, extraída da Revolução Francesa de 1789, não se tem verificado manifestações nessas últimas décadas como as sucedidas em Paris no decorrer desta semana. Tudo por conta do aumento dos combustíveis e perda do poder de compra, principalmente. Lojas depredadas e saqueadas, pneus queimados bloqueando vias, contingente policial atuando como nunca, foram imagens por nós constatadas através da mídia.
Por muito menos que nós brasileiros os franceses protestam, vociferando, mostrando sua indignação ante medidas governamentais que os atingem, bradando àqueles que estão no poder, como a dizer que tais medidas são insuportáveis e jamais as aceitarão. Num país, berço da civilização europeia, espera-se, obviamente, a lida com pessoas mais esclarecidas, alfabetizadas, polidas e educadas! Mas daí, serem “cordeirinhos”, é subestimar demasiadamente a capacidade intelectiva das pessoas!
Qualquer cidadão digno, consciente dos seus direitos e deveres, sabe, perfeitamente, até onde pode ir! Em razão disso, os franceses foram às ruas, pois, se assim não fosse, receberiam “goela abaixo” as imposições de um governo injusto que, pelo visto, deseja dividir a sua conta mal gestada com o contribuinte sofrido!
No Brasil, país do Carnaval, da baderna e da anarquia, exceção feita ao movimento “Brasil Livre”, não constatamos disposição dos brasileiros para manifestações semelhantes contra medidas descabidas do governo, a exemplo do “pacote” do executivo baiano que tem como foco principal a perda do poder de compra do cidadão servidor público, através do aumento da contribuição previdenciária e da tentativa de se retirar conquistas já consagradas judicialmente!
Desta forma, esperamos que os brasileiros possam acordar dessa hibernação profunda e passiva que tanto tem nos caracterizado; que busquem esquecer um pouco o Carnaval que já se avizinha, despertando para aquilo que efetivamente nos atinge, já que, enquanto estamos pensando na folia momesca, há quem, do outro lado, saiba usar da expertise e de estratégias maquiavélicas para nos lesar, mesmo que ferindo direitos e garantias fundamentais, previstas na Constituição!
________________________________________________________________
* Irlando Lino Magalhães Oliveira é Tenente-Coronel da Reserva Remunerada da Polícia Militar da Bahia, escritor e ensaísta.

Participação da família dentro da escola: essa é a meta

Na segunda-feira dia 26 de novembro de 2018 estiveram reunidos pais, gestora, pessoal administrativo, alunos pessoal de apoio do Colégio Municipal Padre Durval Soares, e o Secretário de Educação Jonaldo Silva de Souza,  o coordenador técnico pedagógico Givanildo, o presidente da Câmara Anderson Gumes, para realizar mais uma etapa do Projeto Escola para Pais. Foi um momento muito gratificante para todos, pois, os temas abordados levaram cada um a refletir sobre as ações cotidianas. O secretário solicitou de todos o empenho no sentido de buscar cada vez mais fortalecer a parceria família e Escola para assim ter mais êxito nas atividades educacionais e fazer com que os educandos desenvolvam cada vez mais. O coordenador Givanildo, falou o quanto é importante o acompanhamento da família na vida escolar dos educandos,  O vereador Anderson falou do papel da Câmara de vereadores e abordou sobre as ações que vem desenvolvendo frente a presidência da Câmara,  solicitou dos pais e dos professores o esforço no sentido de retirar as crianças e adolescentes do mundo das drogas e da prostituição.

Tiveram apresentações dos alunos, a diretora Rosália, a vice-diretora Graciela, a professora Gardênia também reforçaram sobre a parceria família e Escola, agradeceram a presença de todos e o momento foi encerrado com a canção  do padre Zezinho “Oração pela Família” acompanhada pelo músico Kau com seu teclado.


Foi realizada na manhã desta quarta-feira dia 21 de novembro de 2018 na Câmara Municipal de Vereadores de Macaúbas-Bahia, uma reunião cujo tema debatido foi: A UTILIZAÇÃO IRREGULAR DE SOM EM ESTABELECIMENTOS E PAREDÕES EM CARROS DE SOM, com a participação do senhor Marbenildo Firmino dos Santos, Secretaria Interino de Meio Ambiente, o Major Gilmar Mascarenhas Carrilho, Comandante da 4ª CIPM/BA, o Promotor Dr. Àviner Rocha Santos, Vereadores e o jurídico da Câmara Municipal.

Foi acordado entre os participantes da reunião, com base nas leis Federais, Estaduais e Municipais, que a partir da data do dia 22 de novembro de 2018:

  1. As autorizações Ambientais emitidas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Macaúbas estarão suspensas para todos os Veículos Automotores portadores de Sons de propagandas que não possuem CNPJ para essa atividade de funcionamento;
  2. Proibição de paredões sem autorização de órgãos competente nos estabelecimentos;
  3. Proibição de paredões sem autorização de órgãos competente nos estabelecimentos ou em vias públicas;
  4. Proibição de sons nos passeios públicos;
  5. Todos os estabelecimentos de bares e restaurantes responderão pelos danos causados por sons de veículos nos seus respectivos estabelecimentos, dentre outros.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Macaúbas é o Órgão integrante do Sistema Nacional de Meio Ambiente na esfera Municipal responsável pela defesa e proteção do meio ambiente ecologicamente equilibrado, conforme resolução CEPRAM Nº 4.327/2013 e o Artigo 225 da Constituição Federal de 1988, podendo exercer seu poder de polícia, inclusive, com requisição policial conforme Artigo Nº 149, do Código Municipal de Meio Ambiente, com a parceria e Apoio: 4ª CIPM/BA. Iremos regularizar os serviços de sons no município de Macaúbas.

A Secretaria comunica ainda que os proprietários dos veículos devem procurar a Secretaria Municipal de Meio Ambiente o mais breve possível para não sofrer penalização, pois as autorizações que foram emitidas não impedem as penalidades legislativas a partir dessa publicação.

(Texto enviado pela Secretaria de Meio Ambiente de Macaúbas)


A Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Macaúbas, por intermedio do secretário Marbenildo Firmino dos Santos comunica que, nos dias 20 a 24 de novembro deste corrente ano de 2018, foram realizados trabalhos de campo dos estudantes da UFBa sob orientação do professor Carlos Ecthevarne e auxílio de coordenação dos monitores Jean Silva e Camila Souza, onde teve apresentação das atividades na sede da Câmara Municipal de Vereadores de Macaúbas/Bahia, cujo tema: A Prática Arqueológica na comunidade de Macaúbas e Criação de Áreas de Conservação Ambiental no Município. Com o seguinte Cronograma:

Imagem reprodução google

Reconhecimento do Sítio arqueológico Pajeú e escolas do povoado (manhã); Visita ao sítio Pé do Morro (tarde) ;Seminário formativo na Escola Estadual Prof. Cônego Firmino Soares (manhã e tarde) – Responsável: Alvandyr ; Seminário formativo com participação da comunidade civil (noite) na Escola Estadual Prof. Cônego Firmino Soares. Responsável: Prof. Carlos e toda a equipe; Atividades com os alunos da Escola Municipal do Pajeú (manhã e tarde); Encontro com o grupo local de mapeamento arqueológico de Macaúbas no espaço da FAMAC (noite); Atividades com os alunos da Escola Família Agrícola (manhã e tarde); Recital arqueológico na praça da Abolição (noite); Atividade prática de mapeamento e catalogação dos sítios de pinturas rupestres com grupo de agentes patrimoniais locais (Manhã).
No momento visualizadas importantes áreas no nosso Município para a Criação de Unidades de Conservação Municipal de Uso Sustentável, especificamente área que compõem no sítio Pé do Morro e na Serra Geral a fim de Preservar o conjunto geológico, biológico, cultural e os recursos hídricos que compõe a região da Serra Geral de Macaúbas; Preservar espécies raras, endêmicas, e ameaçadas de extinção ou insuficientemente conhecidas da fauna e da flora nativa no seu habitat natural; Assegurar a preservação e a recuperação dos remanescentes da catinga, cerrado e zona de transição local; Criar um corredor ecológico integrando-a a futura Área de Proteção Ambiental Municipal – APA da serra Geral, e as demais unidades de conservação de outros Municípios; Preservar as beleza cênicas e paisagísticas;

(Texto enviado pela Secretaria de Meio Ambiente de Macaúbas)


* Jobijander Pinto da Purificação

Era uma vez! Bem num canto brilhante do universo um pequeno ponto azul, olhe lá! Eis a “Terra”, “a Terra dos seres humanos”, “a Terra onde o homem reina sobrando”.

Majestoso e imponente nos seus emaranhados de invenções copiadas dos outros seres inferiores, com todos os sentidos, mas desprovido de raciocinar, onde a maioria dos “humanos” despreza e repudia. Olha lá o homem incapaz de voar por si só, de mergulhar por longos tempos! Mas é o soberano, dono da inteligência, da sabedoria de copiar, de premeditar bondades e maldades. Vejam só é capaz até de amar, mas na mesma intensidade, odeia também, de atacar, ferir e mutilar seres da própria espécie e, até matar.

Certa vez, me perguntaram o que era Meio Ambiente?  “Digo!” – “Eu! Eu não sei”! Mas acho que é da pequena casca de uma aranha minúscula deixada presa em uma teia velha em sua parede a um elefante, de um lambari a um dos maiores seres vivo da terra e da água, a gigantesca baleia azul, da menor bactéria a sequoia-gigante. É tudo aquilo que pulsa, que tem vida, é tudo aquilo que não pulsa, que não tem vida, de um grão de areia inerte, de uma folha que cai a uma rocha fria e quente, conforme o sabor do clima, de um pequeno córrego aos grandes oceanos, do respeito mútuo ao desrespeito coletivo . É aquilo tudo misturado dentro daquela minúscula bola azul, que no espaço vaga. É da força maior que habita entre nós ao mais descrente dos homens, tudo inspira a vida e a morte, o começo e o fim, no intenso frenesi astral.

Enfim, todo globo é composto e incorporado ao meio ambiente, um conjunto das coisas existentes, e das que foram produzidas por nós senhores da “sabedoria”, onde a força lhes foi dada, o poder de construir e destruir. Tudo está em nossas mãos.

Portanto, voltando a nós, esse é o poder que a nos foi deixado, ele pertence a nós! Cada ser faça o que lhe achar melhor com ele, ai está o maior poder do ser humano, o livre arbítrio, capaz de destruir e criar, um poder inseparado da “Inteligência”. Portanto! Homem, com tanta inteligência, não se esqueça dos outros sentidos, da capacidade de amar, da sensibilidade do censo de humanidade, afinal é nosso humanismo que nos difere das outras espécies, nos somos peça essencial para que a pequena bola azul continue existindo, afinal! Nascemos, Crescemos, Reproduzimos e Morremos como todos os seres vivos, e nos transformamos em matéria, incorporando-se com mais substância ao Meio.

Cuidemos! Antes de tudo isso se transformar em “Era uma vez!”.

________________________________________________________________

Jobijander Pinto da Purificação, é técnico em Meio Ambiente e ativista ambiental, servidor público da Secretaria de Meio Ambiente de Macaúbas.

Fonte/Foto:

https://www.google.com/search?tbm=isch&sa=1&ei=5iLiW_ihGoWWwgSSkKD4BA&q=terra+vista+da+lua+real&oq=terra+vista+da+&gs

_l=img.3.1.0l5j0i30k1l5.61494.64115.0.68891.9.9.0.0.0.0.737.1667.2-1j2j6-1.4.0….0…1c.1.64.img.

.5.4.1663…0i67k1.0.c1dkz2GD-6g#imgrc=kzE-jxdbxPZ_EM:


Em nota a Associação dos Funcionários Públicos da Bahia, lança movimento a favor da valorização dos servidores e serviços públicos, diz que há por parte do atual governo do Estado, políticas que inverte isso, com o que chamam: “desvalorização dos trabalhos que vem sendo praticada pelo Governo do Estado“… A redação do blog não consegui contado com representantes do Governo ou com o próprio. Espaço fica aberto para interessados.

(Imagem GenJurídico)

Veja nota:

“As entidades representativas dos servidores do Estado da Bahia acabam de criar uma frente em defesa do Serviço Público. A decisão foi tomada em reunião que ocorreu no dia 7 de novembro, na Associação dos Funcionários Públicos, que contou com a participação do Sindimed, representado por seu diretor de Saúde, Rafael Ferreira, e dezenas de outras representações dos servidores.

O objetivo central dessa articulação é questionar a desvalorização dos trabalhadores que vem sendo praticada pelo Governo do Estado. Além das condições precárias de trabalho que os servidores enfrentam, um cálculo feito pelo Sindsefaz aponta que a perda salarial do segmento, acumulada nos últimos quatro anos, já atinge quase 50%.

Outro problema apontado pelos servidores é o excesso de cargos de confiança criados pelo governo, que impacta diretamente no arrocho salarial porque incha a máquina administrativa, alocando recursos que deveriam ser carreados para o pessoal de carreira.

A crítica feita pelas entidades é voltada também para a prática habitual de contratações via REDA, instrumento que deveria ser utilizado de forma esporádica, mas que se tornou praticamente a única via de entrada no serviço público, na medida em que há anos o governo não promove concursos para novas admissões ao quadro permanente.

Entre as denúncias que os servidores vêm fazendo sobre a má administração do governo, figura ainda o déficit da Previdência do Estado, que preocupa a todos ao colocar em risco as aposentadorias.

A Frente em Defesa do Serviço Público, que é composta por cerca de 23 entidades, volta a se reunir no final de novembro, dando continuidade à mobilização permanente das categorias.”