Doadores e diretoria do Abrigo .

Neste fim de semana o Abrigo São Francisco de Assis, que está em obras, recebeu do município a doação de um automóvel Gol – carro este que pertencia a Câmara de Vereadores e foi reintegrado ao patrimônio do município, e assim, foi feita a doação através de Decreto do Executivo, através do Prefeito Amelinho.

No ato da entrega estavam presentes do prefeito Amelinho, o presidente da Câmara Anderson, o diretor do Abrigo Gilvan Cabral, sua diretoria e os deputados Nelson e Sergio Brito. Na oportunidade os deputados prometeram também a doação de uma van adaptada para transporte dos idosos e uma moto que servirá para sorteio e arrecadar fundos para a entidade.

Entrega forma do automóvel seminovo

O abrigo está sendo construído basicamente através de recursos doados pela comunidade, o terreno foi doado pela Prefeitura na gestão anterior e é considerado um dos melhores do interior baiano o projeto é do engenheiro Arilton Rego. A previsão das obras concluídas é para o fim do próximo ano.

 


* Por Irlando Oliveira
Acompanhando o desenrolar do cenário político brasileiro, percebemos o seu declínio ante as operações investigativas instaladas por ocasião de inúmeros desvios ilegais de recursos públicos, propinas, envolvimento de políticos com organizações criminosas, dentre outros fatores, tendo sido alcançadas, penalmente, várias “personalidades” da vida pública, incluindo ex-governadores, deputados, senadores, ministros, secretários de Estado, e até mesmo ex-presidente da República, nos levando a pensar o quanto o país necessita mudar para  o seu pleno desenvolvimento.
Aqueles que elegemos não têm feito o “dever de casa” conforme esperávamos, compondo apenas seus lugares nos respectivos cargos, voltando-se apenas para os seus anseios, sem qualquer responsabilidade social. E isso tem apresentado um reflexo cruel e nefasto em nossas vidas, pois tal descaso e total falta de comprometimento com os rumos do país têm gerado descontentamento e, acima de tudo, prejuízos aos brasileiros, levando-nos a um maior envolvimento e engajamento na peleja eleitoral, como forma de se buscar candidatos “menos nocivos” à nação.
A cada ano que se passa, a escolha dos nossos candidatos tem sido penosa e sofrida, ante o “leque” disponibilizado, considerando as propostas apresentadas, o partido e o perfil político de cada um. A situação é ainda mais desesperadora na medida em que não encontramos, no rol das opções, candidatos com os atributos necessários que queríamos, já que nos desapontamos com muitos, ante seus discursos falaciosos, enganadores e eivados de embustes.
O que é que está errado na política brasileira? Será o modelo do “toma lá, dá cá” das campanhas eleitorais? Será que a impunidade de outrora, e que ainda remanesce, sobretudo no meio dos parlamentares, tem ensejado os resultados até então apresentados? Será a cultura da corrupção tão arraigada na estrutura e práxis do país? Esses questionamentos suscitam reflexão acurada por parte de cada um de nós eleitores, principalmente quando nos aproximamos de mais um pleito, com o país cambaleante e trôpego, fruto de toda essa mazela política, a qual carece, e muito, de princípios, de moral e de ética!
_______________________________________________________________________________
* Irlando Lino Magalhães Oliveira é Oficial da Polícia Militar da Bahia, no posto de Tenente-Coronel, escritor, ensaísta e especialista em gestão da segurança pública e direitos humanos.

A resolução vai orientar as discussões dos comitês de bacia, instância que deve definir seus mecanismos próprios de cobrança e valores

Poço de Araças, Macaúbas. seu uso deverá ser taxado. (Foto Osvaldo Oliveira)

Em reunião extraordinária realizada na quinta-feira (7), o Conselho Estadual dos Recursos Hídricos da Bahia (CONERH) aprovou a resolução que dispõe sobre as diretrizes e critérios gerais para a cobrança pelo uso dos recursos hídricos no estado da Bahia. A aprovação resulta de um longo período de debates entre representantes dos usuários dos recursos hídricos, da sociedade civil e do poder público sobre a pauta, e é o primeiro passo nos trâmites formais para a implementação da cobrança.

O presidente do conselho e secretário do Meio Ambiente, Geraldo Reis, defendeu a aprovação da resolução. “No contexto atual de crise hídrica, de conflitos sociais e de disputa econômica pelos recursos hídricos, essa é uma vitória de todos. Uma clivagem na história da gestão dos recursos hídricos no estado”, comemorou. “O financiamento é um instrumento para garantir eficiência na gestão da água, com retorno e gestão direta pelos comitês de bacia em cada Região de Planejamento e Gestão das Águas (RPGA) da Bahia. Quem explora os recursos passará a contribuir financeiramente com as estratégias para sua preservação”, disse.

O secretário ressaltou ainda o papel relevante que terão o Conselho Estadual e os comitês de bacias nas decisões sobre a aplicação dos recursos. “A resolução não é um sistema fechado. Mas é o marco, uma referência. Nesse sentido, temos que trabalhar com muito bom senso. Vamos ter que enfrentar coletivamente os desafios. E são fundamentais as duas instâncias orientadoras, o comitê de bacia e o conselho. Evidente, o comitê terá um olhar mais concreto sobre as bacias, enquanto o conselho tem um olhar mais abrangente. Eu estou apostando que vamos conseguir valorizar, qualificar e legitimar cada vez mais os comitês de bacias”.

A procuradora Gertha  de Almeida, do Núcleo de Patrimônio Público e Meio Ambiente da PGE/BA, também membro do Conerh, reforçou que “a cobrança vai gerar benefícios para todos”.

Participaram da votação representantes dos usuários de água (empresas), da sociedade civil e do poder público. A resolução será publicada no Diário Oficial do estado na próxima semana. O documento vai orientar as discussões dentro de cada comitê de bacia, instância que deve decidir sobre seus mecanismos próprios de cobrança e valores. Cada deliberação dos comitês terá que ser aprovada pelo Conerh. O cobrança deve ainda ser regulamentada por Decreto do governador


Vista parcial de Maria da Silva (Foto Carlinhos)

Conforme anunciado milhares de pessoas e centenas de residências já têm acesso a internet na região serrana de Macaúbas, que fica a Oeste do município. Entre as comunidades que serão beneficiadas estão: Maria Da Silva, Barro Duro, Barra de Baixo, Barreiro, Juazeiro, Cabaceira, Umbuzeiro, Lagoinha, Barra de Cima, Cantinho, salina, São Jerônimo, Saco dá Errada, Cruz, Canabrava, Coqueiro, entre outras.

Um das torres principais está instalada na comunidade de Maria da Silva, outras serão instaladas em lugares próximos e fazer a retransmissão de dados. Interessados devem procurar o provedor Macaúbas Net.

 


Há anos Kallif vem tentando “canalizar” ideias e esforços a favor do SB.

Na última semana, como previsto em Edital de Convocação publicado no Diário Oficial do Município, pelo Chefe do Executivo, Sr. Amélio Costa Jr. Foi realizada eleição na Câmara de Vereadores, no dia 04/12, para escolha dos membros que iriam representar a Sociedade Civil na composição paritária do Conselho Municipal de Saneamento Básico e assim, ficou finalizada esta etapa. No entanto, ainda faltam ser apresentado pelo Chefe do Executivo os nomes que irão compor a outra “banda”, a qual representantes do Governo.

Vejamos a seguir a “ala civil” do Conselho:

01- PACS – Associação dos Agentes Comunitários de Saúde, representada por Ione e Rosineire;

02- Paróquia Imaculada Conceição, por Acidália e Antônio;

03- APLB – Sindicado dos Professores, por Maria Santos e Adriano;

04- Igreja Adventista do Sétimo Dia de Macaúbas, por Altino e Aparecido;

05- ONG Macaúbas, por Joniel e Rubenvaldo;

06- Associação Comunitária de Santa Terezinha, por Sergio e Marcia

07- Associação dos Moradores do Loteamento Figueiredo, por Alessandra e Ivone

Cada entidade apresentou dois nomes, sendo o primeiro Titular e o segundo Suplente.

 


São dúvidas que geram perguntas ainda não totalmente respondidas  e, para sanar algumas destas, está sendo lançado um “folheto explicativo” que será entregue à comunidade, seja nas escolas, rua, feira livre, comércio e a domicílio. O folheto, apesar de ter alguns “termos técnicos”, respondem em parte as dúvidas dos usuários. No entanto, é sabido que muitos da própria área da saúde ainda têm dúvidas sobre o assunto. A equipe técnica e administrativa da UPA, espera que com o tempo, “visto que tudo ainda é muito novo”, tanto o pessoal da linha de frente irá “entrar no clima“, quanto a própria comunidade e os usuários. Na verdade, o usuário em potencial, aquele que está na maca “esperando” por atendimento (desde que este seja classificado como “azul” ou “verde), visto que os “vermelhinhos” não terão tempo para esperar pois, na UPA tudo é “urgência” e o que dirá se o caso é uma “emergência” será a sua COR...

E não adianta ficar “vermelho” de raiva se você receber o selo  “azul”, se assim for, poderá esperar por até 4 horas para o atendimento ou ser transferido para outra unidade…

Mas, que tipo de doença, lesão ou complicação o paciente deve ter para ser classificado com as cores, conforme Padrão da Política Nacional de Atenção às Urgências?

Dor é dor, mas a minha doí mais que a sua!... No entanto, a UPA, deve ser uma unidade democrática, não olhar a cor de ninguém, nem raça, nem classe social, preferência sexual ou orientação religiosa… E ainda, nem olhar se é a sua mãe na fila dos “verdes” pois, pode ser apenas um “peti“!…

VERMELHO  (atendimento Imediato) – LARANJA (imediato ou em até 10 minutos) – AMARELO (rápido ou em até 01 hora) – VERDE ( atendimento em até 2 horas ou pode ser transferido) e AZUL (atendimento em até 4 horas ou pode ser transferido para outra unidade).

Quem fará esta triagem, identificação e selagem? Certamente um MÉDICO especialista em urgência/emergência.  Se o cara chegar com dor no peito e for diagnosticado como “gases” e for “um ataque cardíaco” e ser selado com VERDE ou ser transferido e morrer na espera ou no trajeto? Bem, erros médicos acontecem, o que vai evitar isso será uma excelente equipe técnica e médicos realmente capacitados a atuar em URGÊNCIA/EMERGÊNCIA…

E o que é urgência e emergência?

Se eu receber o selo VERDE e a UPA estiver vazia, eu ficarei esperando?

Se eu chegar na UPA e receber o selo VERMELHO ( bem vermelhão), vou ser transferido para onde?

Na UPA, médico pode dormir se tudo estiver “calminho”?

E seu eu sofrer um acidente próximo ao Hospital, serei levado para o Hospital ou atravessarei a cidade e vou para a UPA?

O pessoal do SAMU tem como identificar o paciente com as cores do selo? E assim, evitar demanda desnecessária na UPA, ganhando assim tempo e descongestionando a unidade?

Já foi montando uma “conexão”, entendimento entre as equipes da UPA e SAMU?

Aparentemente não é fácil responder estas e outras questões a todos, é certo que tudo irá se organizar a curto tempo, no entanto, em se tratando de saúde, não há espaço para erros e nem testes, visto que já existem experiências/protocolos/procedimentos padrões para estas questões… Não se inventa mais a lâmpada elétrica!…

 


Palestra mostra as crianças e adolescentes a importância do “movimento”

As escolas públicas do município e outros ambientes sempre tem sido palco de debates e transferência de conhecimento para o prof. Lázaro Morais, graduado em Educação Física, sempre tem contribuído com a formação e disseminação da importância da prática do esporte e da educação físcia.  Nesta semana Lázaro proferiu palestra para crianças e jovens da Escola Municipal Flamiano Alves Pimenta, que fica na sede municipal e o tema foi a Importância da Atividade Física regular para estas faixas etárias.

O evento sempre conta com o apoio das escolas e das Secretaria da Educação. Além de palestra o Educador Físico, Lázaro Morais, é escritor e palestrante, além de ser empresário no ramo de academia na cidade.