Conforme publicação em rede social na internet, deverá acontecer entre os dias 11, 12 e 13 deste mês o Cine Viva Mulher, é uma promoção do Movimento Viva Mulher, idealizado pela ativista e psicologa Natália Dias – acontece no prédio da Fundação Cultural Prof Mota, tendo início às 18h00.

15826497_1417993168212124_1235336590623817702_n

“O Cine Viva Mulher é um projeto que será realizado neste ano de 2017 composto por 6 ciclos temáticos de mostra de filmes, seguidos por debates, sobre diversos temas relacionados às mulheres. O projeto surgiu da necessidade de discutir temas importantes como Movimentos de Mulheres, Feminismo, Sexualidade, Maternidade, entre outros, intermediado por uma linguagem acessível e atraente, favorecendo a participação da comunidade.

Para dar inicio teremos a mostra temática “emancipação das mulheres“, com debates sobre conquistas históricas dos movimentos de mulheres e a relação com nossas condições sociais atuais. Com os seguintes filmes:

11/01 – As sufragistas
12/01 – O sorriso de Monalisa
13/01 – Terra Fria

*A atividade será certificada aos participantes que comparecerem aos 3 dias.
*Evento gratuito.
VAMOS PARTICIPAR, CONVERSAR, TROCAR IDEIAS, CONHECER NOSSA HISTÓRIA E NOSSAS POSSIBILIDADES!!
CONTAMOS COM A PARTICIPAÇÃO DE [email protected]!’


* Por Irlando Oliveira

thumbnail_img_6513A cada final de ano é muito comum ouvirmos e dizermos a expressão: Feliz Ano Novo! O convívio social nos remete naturalmente a esse comportamento, já que sempre desejamos o melhor para nossos amigos e familiares. Sabemos, também, que o bom pensamento a eles dirigido tem um enorme poder de alcançá-los, beneficiando-os. Em razão disso, dizemos esta e outras expressões, a exemplo de: se Deus quiser, boa sorte, fé em Deus, dentre tantas!
Isso tudo é muito positivo! Contudo, aquele a quem tal expressão é dirigida deve fazer por merecer, empenhando-se para conseguir tal benefício. Aliado a isso, o possível beneficiado deve fazer jus à conquista almejada. Afinal, como diz Joanna de Ângelis, Espírito, “não acredites possuidor de méritos que sabes não dispor!”. Para conseguirmos qualquer graça, temos que ser merecedores! O mérito se constitui condição “sine qua non” para alcançarmos qualquer benefício.
Desta forma, para que tenhamos um ano inteiro realmente feliz, deveremos nos dedicar a isso, elaborando planos e mudando a nossa atitude perante a vida, de modo a conseguirmos alcançar a graça e o objetivo pretendidos. Não apenas esperarmos por Deus – que é todo bom e justo -, mas, antes, fazermos por merecer! A felicidade sempre foi algo anelado por nós, porém, parafraseando o poeta Vicente de Carvalho, “a felicidade é o pomo que pomos onde não estamos, e sempre estamos aonde não a pomos!”. Isso equivale a dizer que nem sempre estamos satisfeitos e felizes com nossas conquistas.
Assim, que no ano de 2017 possamos nos planejar melhor, criando condições favoráveis para alcançarmos as dádivas a nós reservadas, sendo, acima de tudo, muito gratos!
_________________________________________________________________________
* Irlando Lino Magalhães Oliveira é Oficial da Polícia Militar da Bahia, no posto de Major do QOPM, atual Comandante da 46ª CIPM/Livramento de Nossa Senhora, e Especialista em Gestão da Segurança Pública e Direitos Humanos.

thumbnail_joao-de-barro

* PorJobiJander

O joão-de-barro é um pássaro que se adapta facilmente as intempéries climáticas e as mudanças geográficas das paisagens, muitas vezes causadas pela ação nociva do homem.

Vem-se notando, que devido à diminuição crescente de árvores de grande e médio porte, em nosso município e região, causada pelo desmatamento descontrolado, devido à especulação imobiliária, queimadas entre outros, as aves desta espécie, tendem a construírem seus ninhos em conjunto com seus parceiros (casinhas em formato de forno, utiliza como matéria-prima o barro úmido, esterco e palha), em postes de redes elétricas, causando transtornos em algumas regiões, quedas de energia constantes e mortandade elevada destes animais devido a descargas elétricas, provocadas pelas aves que como pode ser observadas nas imagens, e segundo informações de algumas concessionárias de energia, “eles constroem seus ninhos próximos ao isolador, uma peça de cerâmica que sustenta o fio de alta-tensão, Quando ele precisa limpar o bico no fio energizado, acaba causando um curto-circuito local e morre na hora, deixando sem luz quem mora na redondeza”. Observa-se também, que as casas (ninhos) quando são construídas em postes ficam expostos ao vento, altas temperaturas tornando a incubação, maturação e eclosão dos ovos prejudicadas, e como consequência um aumento no número de mortandade de filhotes, lembrando ainda das chuvas, que desintegram seus ninhos por estarem vulneráveis, sem nenhuma cobertura ou proteção natural, que as árvores oferecem, contribuindo ainda mais, com a diminuição da espécie.

thumbnail_ocupacao-em-poste

E se não bastassem todos esses transtornos, outras espécies como: tuins(periquito da índia), canário-da-terra-verdadeiro, andorinhas, lagartixas, rãs, pequenas cobras, ratos e abelhas se apropriam das casinhas quando abandonadas ou não. No entanto, foi observada outra espécie invasora, e mais agressiva, tomando posse dos ninhos construídos em postes de energia, espécie essa conhecida por todos, e tido em algumas regiões como praga, o nosso conhecido e abundante Pardal, Nome científico: (Passer), ave originada no Oriente Médio e introduzida no Brasil por volta de 1903, que é considerado uns dos principais vilões no desaparecimento e afugentamento de Andorinhas, Nome científico: (Hirundinidae), espécie migratória e o Tico-tico, Nome científico: (Zonotrichia capensis), que divide-se em duas espécies, os insetívoros e os frutíferos. O insetívoro nativo de algumas regiões brasileiras que esta em processo de extinção, segundo pesquisadores (um dos motivos Pardal), e o frutífero, totalmente selvagem.

Apesar de serem na maioria das vezes, proporcionalmente menores, os Pardais são aves que vivem em grupos (bandos) numerosos, que se revezam durante um ataque em busca de seus objetivos, dificilmente desistindo, e fazendo com que suas “vitimas” (nesse caso, outros pássaros) abandonem os seus ninhos ou habitat e migrem para outros lugares ou regiões, onde nem sempre obtém sucesso, ou seja, não se adaptam. Mas, o encontro ou confronto dessas espécies só foi possível e acelerado, devido à ação nociva humana. Apesar de preferirem áreas de campo abertos, o joão-de-barro foi obrigado a se adaptar as áreas urbanas, e rurais povoadas, devido o desmatamento, causando a disputa por território e alimentos com outros aves adaptadas ao convívio direto com os seres humanos, como o Pardal, que é uma espécie onivara (que ou o que se alimenta tanto de matéria vegetal como animal), e na

guerra pela sobrevivência, o Pardal é mais adaptado e oportunista ao meio edificado.

Por tanto, é preciso preservar as árvores que temos, e plantarmos mais e mais, proporcionando abrigos, alimento e refúgios para todas as espécies.

Devemos cuidar e proteger, esta e as outras espécies, para que se perpetue, e nesse caso específico, que a ignorância e a falta de conhecimento, não nos prive do seu canto peculiar, que lembra uma gargalhada, e da beleza de sua arquitetura única.

Ficha do Bicho: O joão-de-barro nome cientifico (Furmarius rufus) é uma ave passeriforme da família Furnariidae.

Conhecido também como barreiro, joão-barreiro (Rio Grande do Sul), maria-barreira (Bahia), forneiro, pedreiro, oleiro, hornero (Argentina) e amassa-barro. A fêmea é conhecida como “joaninha-de-barro”, “maria-de-barro” ou “sabiazinho” em certas regiões.

É conhecido por seu característico ninho de barro em forma de forno. O joão-de-barro é tido como passarinho trabalhador e inteligente. Seu canto parece uma gargalhada. (no Sul dizem que, quando ele canta, é sinal de bom tempo) e também dizem que ele faz o ninho na direção contrária à da chuva, e é amigo de todos, lutando para salvar seu ninho.

Mede 18 a 20 centímetros de comprimento e pesa 49 gramas.

Põe de 3 a 4 ovos, a partir de setembro, e a incubação dura de 14 a 18 dias.

Possui cinco subespécies:

thumbnail_subespecie-iFurnarius rufus rufus (Gmelin, 1788) – Sul do Brasil e Uruguai até a região central da Argentina. Furnarius rufus albogularis (Spix, 1824) – Sudeste do Brasil (Goiás, Bahia, Minas Gerais e São Paulo). Furnarius rufus commersoni (Pelzeln, 1868)- Oeste do Brasil (Mato Grosso) e áreas adjacentes da Bolívia. Furnarius rufus schuhmacheri (Laubmann, 1933 ) – Norte da Bolívia (região de La Paz e Beni até Tarija). Furnarius rufus paraguayae (Cherrie & Reichenberger, 1921) – Paraguai e norte da Argentina. O que é leucismo?

O leucismo (do grego λευκοσ, leucos, branco) é uma particularidade genética devida a um gene recessivo, que confere a cor branca a animais geralmente escuros.

O leucismo é diferente do albinismo: os animais leucísticos não são mais sensíveis ao sol do que qualquer outro. Pelo contrário, são mesmo ligeiramente mais resistentes, dado que a cor branca possui um albedo elevado, protegendo mais do calor.

O oposto do leucismo é o melanismo.

Alimentação:

Cupins, formigas, tanajuras, minhocas, moluscos, pequenos repteis e restos humanos, como pedaços de pão e bolacha.

Curiosidade: A construção do ninho demora entre 18 dias e 1 mês, dependendo das chuvas, quantidade necessária da matéria prima (barro).

Não se sabe por qual motivo, fazem rodízios em ninhos, não utilizando o mesmo durante as estações de reprodução, costumam também, reparar os ninhos velhos, e quando bastantes deteriorados, constrói umas sobre as outras, onde há relatos do numero de até 11 casinhas, e quando tem espaço constroem uma ao lado da outra, segundo estudiosos.

Habitat:

Caatinga, Cerrado, Campos Abertos entre outros.

Lendas:

Dizem que se o macho do João-de-barro for traído ele pode trancar a fêmea no ninho até que ela morra. (relato não comprovado cientificamente)

Diz-se que havia um homem chamado João. Ele era um homem muito bondoso e fazia casas com barro e capim, cuidando sempre para fazê-las na posição correta (viradas para o nascer do Sol). Ele era tão bondoso que não cobrava nada para construir casas. Depois de muitos e muitos anos, Deus achou melhor ele descansar ao seu lado. Todos entraram em prantos por causa da morte de João. Para consolá-los, Deus criou o “joão-de-barro”, fazendo sua casa de barro e capim, sempre virada para o nascer do Sol.

Distribuiçãthumbnail_distribuicao-geograficao Geográfica:

Um dos pássaros mais populares das regiões Sul, Sudeste, Centro-oeste e Nordeste de nosso País.

Pesquisa de Campo:De 31/10/2016 a 14/12/2016.

Referências:

http://www.wikiaves.com/joao-de-barro – http://www.radioguaiba.com.br/noticia/passaros-sao-hospedes-inoportunos-na-rede-eletrica/ – http://www.wikiaves.com.br/pardal – https://www.google.com.br/?gfe_rd=cr&ei=Y89aWInjO-bM8AfwpKr4Bw#q=pardal+x+tico-tico – https://www.google.com.br/?gfe_rd=cr&ei=Y89aWInjO-bM8AfwpKr4Bw#q=nome+cientifico+do+tico+tico – https://www.google.com.br/?gfe_rd=cr&ei=Y89aWInjO-bM8AfwpKr4Bw#q=nome+cientifico+da+andorinha – https://www.google.com.br/?gfe_rd=cr&ei=Y89aWInjO-bM8AfwpKr4Bw#q=nome+cientifico+do+pardal – https://www.google.com.br/?gfe_rd=cr&ei=Y89aWInjO-bM8AfwpKr4Bw#q=matura%C3%A7%C3%A3o+de+ovos+de+passaros –

_________________________________________________________________________________________

* JobiJander Pinto da Purificação é Ambientalista – Tecnólogo em Gestão Ambiental


thumbnail_img_6407

* Por Irlando Oliveira

A vida estua em todos os sentidos, pois em quaisquer dos planos – material ou espiritual – ela é dinâmica, ensejando momentos valiosos para a fruirmos com trabalho, responsabilidade e alegria. Entramos e saímos da vida sem jamais dela nos afastarmos! Deambulamos nos dois planos sempre buscando progredir e evoluir, já que tudo está fadado ao progresso! Ante as dificuldades e problemas, a nossa deve ser a meta da superação, da resiliência!
Diante das adversidades que a vida nos “impõe”, as quais se nos apresentam como verdadeiras “provas” para o nosso crescimento, deveremos sempre assumir uma postura resoluta, buscando ultrapassar esses obstáculos, vencendo-os e aprendendo o ensinamento deles extraído, já que nada acontece por acaso! O acaso simplesmente não existe! Tudo na vida tem um porquê, um sentido. Tudo se nos revela desafiador, mas, com serenidade, equilíbrio e fé, superaremos cada desafio.
O maior exemplo de superação de que temos conhecimento foi a vida de Jesus Cristo na Terra, traduzida através da versão neotestamentária – a qual constitui o melhor código de ética e moral já apresentado à humanidade. E a Sua evocação não foi à toa, pois estamos no mês de dezembro, época em que se comemora o Natal – o Seu nascimento. A Sua foi uma vida toda permeada por obstáculos e dificuldades. Do berço ao túmulo, Jesus foi pura superação, deixando-nos um legado divino, através dos seus ensinamentos, os quais são discutidos até nos dias de hoje, mais de dois mil anos do Seu “ocaso” em nosso orbe. Toda a Sua vida representa exemplo de superação, a ponto d’Ele simplesmente cindir a história, deixando-nos um marco antes e depois d’Ele. Jesus era portador de uma conduta imaculada; não se corrompia, não hesitava na Sua atitude comportamental, mesmo diante do “perigo” iminente, quando, por exemplo, estava diante de Pôncio Pilatos, o qual tinha “poder” de mudar o Seu destino naquela ocasião extremamente difícil por que passara, antes de ser crucificado. Portador de uma androginia invulgar, tratava com naturalidade tanto homens, quanto mulheres, sem se abalar e sem se permitir a pensamentos subalternos. Ele simplesmente superou a tudo e a todos, a ponto de vencer o mundo!
Que possamos seguir os Seus passos, vendo a vida como oportunidade de redenção e crescimento, percebendo a sua fugacidade acima de tudo, já que, para quem terá toda a eternidade, essa vida equivale a um átimo de segundo, um quase nada temporal. Devemos porfiar, sim, buscando superar todas as nossas dificuldades, pois é com essa finalidade que aqui estamos! E mesmo diante do insucesso, ante um infortúnio, que sejamos resignados. Afinal, a resignação é ato sublime de superação das desditas que a vida nos reserva para a nossa evolução, a fim de alcançarmos a angelitude, a qual está reservada para todos nós, indistintamente, uns obviamente a logrando mais rapidamente, outros nem tanto, dependendo do nosso empenho!
_________________________________________________________________________
* Irlando Lino Magalhães Oliveira é Oficial da Polícia Militar da Bahia, no posto de Major do QOPM, atual Comandante da 46ª CIPM/Livramento de Nossa Senhora, e Especialista em Gestão da Segurança Pública e Direitos Humanos.

thumbnail_img_6339
* Por Irlando Oliveira
Em todo campo de atuação profissional nos deparamos com critérios de avaliação espúrios e levianos, constatando as suas ausências em raríssimos casos. E isso atinge tanto a iniciativa privada, quanto à pública, lamentavelmente! Alguns profissionais se destacam nos seus respectivos campo de atuação, merecendo o apreço e o respeito de todos! Outros, diferentemente, alcançam os locais de proeminência nas empresas, a eles reservados, não em razão do destaque e desempenho, mas em face da “politicagem” barata e medíocre, permeada pela bajulação e pela subserviência – apanágios não dos espertos, mas dos pusilânimes -, aliado às “amizades” e níveis de parentesco que têm com aqueles que se situam no ápice da pirâmide da estrutura organizacional da empresa!
Em conversas entabuladas com alguns profissionais, no próprio desempenho do nosso labor, dentre os quais magistrados, promotores, delegados da Polícia Civil, gerentes de banco, etc, constatamos a existência desses “critérios” nebulosos em todas essas áreas! Essa “politicagem” infame conspurca e faz ruir toda a estrutura da empresa, ensejando um clima de insatisfação, o qual somente não contagia aqueles que adotam postura de firmeza de caráter, abnegação e dedicação à tarefa que vêm arrostando com responsabilidade.
Na Polícia Militar da Bahia a situação não é menos lamentosa, pois há casos de “capotes” que chegam ao cúmulo de atingir 5 a 6 turmas; ou seja, um funcionário que concluiu o seu curso de formação em determinado ano pode ser ultrapassado por aquele que o fez há 5 a 6 anos! Isso tem gerado insatisfação e até mesmo revolta, pois os responsáveis por essas manobras não dimensionam – ao que parece – os transtornos causados aos profissionais preteridos e até mesmo a perda pecuniária causada!
Assim, pensamos que urge a necessidade de que isso seja revisto e, dentro do possível, devidamente reparado! A subjetividade do critério de “merecimento” promocional não pode e não deve jamais ter como parâmetro algo que enseje discórdia e desarmonia entre os profissionais, o que ocorre naturalmente diante das excrescências havidas, já que, em muitas das vezes, o pedido político prevalece sobre a avaliação do servidor, baseada na sua pontuação e na aferição do seu Comandante direto.
____________________________________________________________________
* Irlando Lino Magalhães Oliveira é Oficial da Polícia Militar da Bahia, no posto de Major do QOPM, atual Comandante da 46ª CIPM/Livramento de Nossa Senhora, e Especialista em Gestão da Segurança Pública e Direitos Humanos.

15577491_1056553954470786_267970968_n

Em sua terceira edição a Festa do Pequi realizada por comunidades da região serrana de Macaúbas e idealizada pelo ativista Genivaldo Guedes, um dos grandes incentivadores e promotor cultural de Macaúbas e em especial às populações rurais. O evento que conta com o apoio do comercio local e da comunidade, teve sua primeira edição em 2015, na comunidade de Calumbi, em 2016 na comunidade de Desterro e a terceira será realizada em Boa Madeira no dia 08 de Janeiro/17, região serrana de Macaúbas, produtora de pequi, buriti, mangaba e outros frutos nativos.


* Por Irlando Oliveira

Imagem reprodução Google.
Imagem reprodução Google.
Como criaturas que somos, necessária se torna a nossa “religação” com o Criador; a sintonia com a nossa Origem, da qual tudo na vida dimana. Levados pelas tribulações do dia a dia, pelos afazeres domésticos e profissionais, nem sempre nos damos conta de que a nossa essência é espiritual e, em assim sendo, é fundamental buscarmos respostas para as nossas inquietações. E a proposta das religiões – todas elas – é, dentre outros benefícios que traz às sociedades, nos oferecer tais respostas!
De onde viemos? Por que estamos aqui? Para onde vamos após o nosso traspasse? Essas e outras perguntas sempre nos inquietam e nos instigam a perquirir e a buscar informações esclarecedoras. As religiões, através dos seus respectivos postulados e rudimentos, nos apresentam explicações valiosas para direcionar as nossas condutas, dando-nos o entendimento necessário para fruirmos uma vida alegre, saudável e, acima de tudo, de paz – anseio de todos nós.
Costumamos dizer que não existe a melhor religião. O importante é nos encontrarmos e nos identificarmos com ela. Assim, não importa se somos católicos, espíritas, evangélicos, presbíteros, etc. O que releva é sermos um bom católico, um bom espírita, um bom evangélico, um bom presbítero! O que é crucial é cumprirmos os seus postulados; é estudarmos com dedicação e esmero a religião que esposamos, evitando, desta forma, assumirmos uma atitude puramente passiva, através da qual ficamos apenas absorvendo os ensinamentos dos seus pregadores e oradores. Aliado a isso, que busquemos as informações na fonte, a fim de melhor compreender.
As religiões assumem, por outro lado, uma função social de alta relevância, já que buscam dar sentido às nossas vidas, conduzindo-nos à senda do Bem. Nos inúmeros templos espalhados por nossas cidades, tanto pessoas sadias quanto desesperadas são recepcionadas com o carinho e o respeito devidos. Campanhas de caridade são sempre levadas a efeito como forma de propiciar às famílias necessitadas o lenitivo para as suas almas. Fiéis se prontificam, dentro de suas respectivas áreas profissionais, a colaborarem dentro do que for possível, levados pelo espírito de fraternidade.
Portanto, cada um de nós, dentro da religião que nos vinculamos, sempre teremos um campo fértil de atuação, já que “a seara é grande, mas os trabalhadores são poucos” – Mateus 9:37. Teremos sempre algo a oferecer e a doar, emprestando o nosso contributo pessoal, concorrendo não para a prática do proselitismo – que em muitas das vezes soa agressivo, sem querer aqui entrar no mérito da questão -, mas para a prática do Bem, aceitando as pessoas como elas são e respeitando as religiões que se fidelizaram.
_________________________________________________________________________
* Irlando Lino Magalhães Oliveira é Oficial da Polícia Militar da Bahia, no posto de Major do QOPM, atual Comandante da 46ª CIPM/Livramento de Nossa Senhora, e Especialista em Gestão da Segurança Pública e Direitos Humanos.