CCAA: Rua Castro Alves - Centro
CCAA: Rua Castro Alves – Centro

Falar uma segunda língua há muito tempo deixou de ser diferencial, tornando-se obrigatório para conquistar sucesso em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo. Por isso, dominar um idioma que não seja o seu é encarado como preocupação não somente dos adultos, como também dos pais das crianças e dos adolescentes. Reconhecida mundialmente como língua universal, o inglês é o idioma mais procurado nos cursos especializados em todo o país.

Aprender inglês exige tempo, dedicação e interesse do aluno.

Sem contar que o curso deve oferecer boa estrutura de aprendizado,material didático de qualidade e metodologia testada e aprovada. Antes de se matricular, é importante verificar a graduação dos professores, suas experiências e, sempre que possível,assistir a uma aula demonstrativa . Também deve pesar na escolha a tradição da escola de idiomas.

O CCAA esta ai comprovando que atende a todos estes requisitos, recentemente foi eleito melhor franquia na categoria Ensino de idiomas no premio “MELHORES FRANQUIAS DO BRASIL 2016”, concedido pela revista Pequenas Empresas Grandes Negócios (PENG), recebendo a cotação 5 estrelas entre as 24 redes da categoria classificadas pela Serasa Experia.

Salas amplas e climatizadas
Salas amplas e climatizadas

 

A cidade de macaúbas conta com uma franquia padronizada, com professores capacitados semestralmente pelo franqueador, com um número de 150 alunos aprendendo o idioma com um dos melhores métodos de ensino.

Junte–se a este time de alunos e experimente estudar em uma escola de língua de renome .

O CCAA Macaúbas esta com matrículas abertas para novas turmas com aulas em inicio de agosto.

Agende uma aula experimental e venha comprovar o que estamos falando.

A unidade fica localizada a Rua Castro Alves próximo aos correios. Informações pelos fones : 77 3473-1540/99726155.

Email:[email protected]

 


Polo da Unopar de Macaúbas (Imagem Olhar Interativo)
Polo da Unopar de Macaúbas (Imagem Olhar Interativo)
Conforme nota da Assessoria de Comunicação do Polo da Unopar de Macaúbas, a unidade irá distribuir bolsas de estudos, através de sorteio para novos matriculados, os descontos podem ser de  10, 15 ou  30%. As provas para o vestibular 2016.2 podem ser agendadas na própria unidade. O Polo também tem convênios com empresas e sindicatos, o qual concede descontos de 10% aos seus funcionários conveniados.
Para mais informações o Polo disponibiliza os telefones: (77)  3473 – 2103 e  (77) 99802 – 2628
Vestibular (2)

Projeto Ações Preventivas nas Escolas e Comunidades (PROAPEC), no Povoado do Mucambo em Livramento
Projeto Ações Preventivas nas Escolas e Comunidades (PROAPEC), no Povoado do Mucambo em Livramento
O instinto gregário naturalmente nos impulsiona a viver em grupo. Ninguém há que consiga viver tal qual um ermitão, um eremita, insulado de tudo e de todos. Afinal, precisamos uns dos outros! Mas… como viver em grupo sem conflitos?
A vida em sociedade impõe condutas que vão desde o respeito ao próximo, até o cumprimento de todas as regras e normas que nos são apresentadas, como forma de fruirmos uma convivência pacífica e harmoniosa. Desta forma, não cabem atitudes individualistas, egoísticas, as quais apenas atendem aos anseios próprios. Assim, a vontade individual jamais poderá se sobrepujar à coletiva. Infelizmente, nem todos são dotados desse nível de entendimento e consciência, e disso resultam os problemas, as intrigas, os conflitos, enfim.
A grande maioria de nós ainda precisa de polícia, a fim de fiscalizar as nossas atitudes. A sós, tendemos a infringir, a violar! Obviamente, não podemos generalizar, mas o nosso nível evolutivo ainda não está suficientemente avançado de modo a possibilitar-nos condutas retas, probas e dignas, em todos os aspectos.
Como o nosso orbe está sempre apresentando uma densidade demográfica exorbitante, pois atualmente já somamos mais de sete bilhões de seres humanos, urge a necessidade de uma mudança de atitude comportamental, de todos nós, a qual nos levará a uma convivência agradável, minimizando os inúmeros conflitos sociais.
Sócrates (370 a. C.), o eminente filósofo grego, já nos convidava à viagem interior, através da qual analisaríamos não os fatores externos que permeiam nossas vidas, mas a nossa essência espiritual, possibilitando o descobrimento das nossas mazelas morais para as trabalharmos, num eterno processo de burilamento do nosso caráter, da nossa personalidade. Diante do Oráculo de Delfos, o referido filósofo se deparou com uma frase inquietadora: “Homem, conhece-te a ti mesmo!” Isso nos levaria a essa auto-análise, ao auto-descobrimento para, a partir daí, buscarmos seguir o valioso ensinamento de Santo Agostinho: sermos hoje melhores do que fomos ontem, e amanhã melhores do que estamos sendo hoje!
Sabemos que qualquer mudança no campo social se dá a longo prazo, porque envolve hábitos e costumes, os quais, via de regra, necessitam de tempo para serem alterados. Contudo, que possamos encetar os primeiros passos, buscando fazer a nossa parte, acreditando que estaremos semeando não para nós, mas, quiçá, para nossos descendentes, a fim de contribuirmos para um mundo melhor.
___________________________________________________________________________________________________
13507161_110027469426989_3994187269438086493_n* Irlando Lino Magalhães Oliveira é Oficial da Polícia Militar da Bahia, no posto de Major do QOPM, atual Comandante da 46ª CIPM/Livramento de Nossa Senhora, Aspirante a Oficial da Turma de 1986, tendo ingressado nas fileiras da Corporação no ano de 1984. Possui especialização em Gestão da Segurança Pública, pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB); Direitos Humanos, pela Faculdade Dois de Julho; e Programa de Desenvolvimento Gerencial Integrado (PDGI), na área de Gestão de Segurança Pública, pela UNEB e Fundação de Administração e Pesquisa Econômico-Social (FAPES). É autor do Projeto Ações Preventivas nas Escolas e Comunidades (PROAPEC), tendo proferido mais de 160 (cento e sessenta) palestras no Oeste e Sudoeste baiano, abordando temas sobre Segurança Pública, violência em meio escolar, segurança nas escolas, drogas, bullying, dentre outros.
Email[email protected] * Irlando Oliveira (71) 99670-7119 – Vivo (WhatsApp)

UNINTER Convênio Empresa, faça o seu agora.
UNINTER Convênio Empresa, faça o seu agora.
O Polo da Uninter de Macaúbas, coordenado pela Prof. Rosânia Domingues, firma convênio com algumas empresas de Macaúbas, entre elas: a APLB e o ISEM. Outras empresas (públicas ou privadas, tais como escolas, fundações, associações etc) interessadas podem manter contato com a Direção do Polo da Uninter em Macaúbas e obter mais informações.
Empresas conveniadas tê descontos:
Membros, associados e/ou diretores das instituições conveniadas têm desconto de 10% nos cursos oferecidos pela Universidade, seja de graduação ou pós!… A exemplos dos ex-alunos do ISEM e professores associados à APLB.
Interessados podem manter contato: Polo Unineter Macaúbas: Travessa Pe Macário de Freitas, nº 03, ISEM. CONTATOS: 77 3473 1864 / 9 9910 9665 / 9 8120 0946/ WhatsApp: 9 9938 1773 ou acessando o site:  site: www.uninter.com
13618055_680221898793046_748406660_n

Convite - Cordel da Fundação
A Fundação Cultural Prof Mota, em funcionamento desde 1972, sempre se orgulhou de ter apoiado a criação de importantes grupos em Macaúbas como a Acimac – Associação Comercial de Macaúbas, a AAMM – Associação dos Artesãos Minerais de Macaúbas e a APIMAC – Associação dos Apicultores de Macaúbas, entre outras tantas que nasceram em suas dependências, além de ter sido a primeira biblioteca pública na cidade e ter instalado o primeiro museu do território, em 1988. Porém, desde o falecimento de seu idealizador, prof Ático Villas Boas da Mota, que arcava com uma grande fatia de seus custos estruturais, a situação financeira da entidade ganhou ares de preocupação por sua diretoria.
 
Visando amenizar estas dificuldades encontradas, uma das ações que a diretoria bolou foi a criação de um pequeno cordel, escrito pelo seu atual diretor, prof. Francisco Rêgo Bastos e totalmente ilustrado com os desenhos do artista Eduardo Cambuí Junior, que também é membro da diretoria. A iniciativa visa ser o pontapé inicial de uma série de publicações periódicas de cordel, alternando os participantes que produzirão de forma voluntária. A ideia principal é que, desta forma, a Fundação Cultural consiga se manter oferecendo os seus serviços ao público.
 
Atualmente, um grande acervo de livros de diversos assuntos está disponível ao público para pesquisa. Há alguns anos inclusive, a Fundação Cultural Prof Mota foi contemplada no edital “Pontos de Leitura” da Fundação Pedro Calmon através do governo do Estado com o projeto “Clube de Leitura e Pesquisa de Macaúbas”, onde um dos principais focos é justamente a literatura de cordel. O pequeno cordel que será lançado conta inclusive um pouco da história do Professor (José Batista da) Mota, de Ático Villas Boas da Mota e da própria Fundação Cultural.
 
O lançamento acontecerá amanhã, no dia do aniversário de emancipação de Macaúbas, nas dependências da própria Fundação, à partir das 20 horas. Alguns artistas locais confirmaram a participação para enriquecer ainda mais o evento. Cada exemplar será vendido no local por apenas R$ 5,00. Compareça você também e prestigie! ( Por Eduardo Cambuí Jr.) 
Cordel Fundação - 03

Lançamento do Cordel da Fundação Cultural Prof. Mota

Texto: Francisco Rêgo Bastos
Ilustrações: Eduardo Cambuí Junior
Local: Fundação Cultural Prof. Mota – Macaúbas / BA
Data: 06 de julho de 2016 (quarta-feira)
Horário: À partir das 20h.
Preço do exemplar: R$ 5,00
(…)
 
Na Fundação José Batista
Contamos com todos vocês
Para encontro dos artistas,
No próximo dia seis,
A partir das 20 horas.
Senhores e senhoras,
Cultura tem voz e vez.”

13529106_618674851644700_1949837173071792252_n

Minhas Amigas e Meus Amigos,

Amigos do Prof. Ático são amigos da Fundação Cultural Professor Mota.

C O N V I T E

Na Fundação José Batista,
Contamos com todos vocês
No encontro com os artistas,
No dia seis deste mês,
A partir das vinte horas.
Senhores e senhoras,
Cultura tem voz e vez!

(Francisco Bastos – Presidente da FCPM – Arte Jr. Cambuir) 


Pré-Enem Uninter, o conhecimento ao alcance de todos!
Pré-Enem Uninter, o conhecimento ao alcance de todos!

O Polo de Apoio Presencial do Centro Universitário Internacional UNINTER de Macaúbas, com instalações no ISEM,  a fim de proporcionar um trabalho social efetivo quanto à democratização do ensino,  oferece gratuitamente curso preparatório para o ENEM 2016, com experiência, atualização e integração plena entre as áreas do conhecimento: Ciências da Natureza, Ciências Humanas, Linguagens, Matemática e Redação, para todos que buscam, a partir do resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), obter Certificação do Ensino Médio, ou acesso ao Ensino Superior por meio do Sisu, ProUni ou Fies.

Serão 200 aulas envolvendo:

A Biologia, a Química, a Física, a História, a Geografia, a Sociologia, a Filosofia, a Matemática I e II, a Arte, a Educação Física, a LEM Espanhol, a LEM Inglês, a Gramática, a Literatura, as TICs e a Redação.

Além dessa multidisciplinaridade pioneira e efetiva, o curso oferece 4 aulas especiais, os chamados Aulões, nas quais o pleno envolvimento dos professores em suas áreas do conhecimento é singular. Os “aulões” acontecerão em Curitiba e depois poderão ser acessados no ambiente virtual de aprendizagem.

13576420_676467385835164_1221544291_n

Dias e Horários das Aulas:

As aulas serão ao vivo, via satélite, às terças e quintas-feiras, das 14h às 16h15, no Polo de Apoio Presencial que fica localizado à Trav. Pe Macário de Freitas, nº 03, Prédio do ISEM, do dia 02/08 a 03/11/2016.

Vagas e Inscrições:

Vagas limitadas, sendo disponibilizadas 70% para alunos de escolas públicas e 30% de escolas privadas. A inscrição será  um quilo de alimento não perecível, os quais serão revertidos em doações para entidades sem fins lucrativos e que prestam serviços sociais na cidade de Macaúbas.

A inscrição poderá ser feita através do site www.uninter.com/enem ou no PAP (Polo de Apoio Presencial)

Mais informações: 77 3473 1864  ou Cel: 77 99910 9665 / 9 8120 0946.

Coordenação do Polo Uninter de Macaúbas: Professora Rosania Domingues

 

 


gggggggggggg
… “Que tenha Vida a Sua Casa, à sua Memoria… O Memórial da Casa Viva!…

Há noventa dias (26/03/2016…) Para uns “engasgado”, talvez e certamente, “sufocado”, pensando e vivendo além do seu tempo, apesar de sua curta passagem aos 87 anos, Prof. Ático, queria mesmo ele era eternizar os seus sonhos… Mas vivia sua “angustia” na solidão daqueles que parecem sonhar sozinhos… Nato visionário há mais de duas décadas questionava ele os motivos de Macaúbas ainda não ter uma universidade, hoje em pleno século XXl, em 2016, há quem pense ainda que é sonho, uma utopia… Os seus questionamentos!…

Isso,  certamente e talvez, por uma questão política/cultural, herança do “ranço” do sistema “coronelista” da administração pública, em todas suas esferas, mas para nós do “burgo” local, há 184 anos e ainda “vila”, no entanto “conectados via cabo”, mas ainda de “rabo preso” ao sistema político dos coronéis “in loc”… Seja os dos “ão” ou dos “inhos”, são iguais todos!..

E o texto a seguir, o qual faz parte de um conjunto de 54, retrata e parece que sempre vai retratar o “eterno pretérito imperfeito“… O Sr. Coronel já morreu?… Apropriado para as vésperas eleitorais, onde os sonhos estão atrelados ao voto… E este de cabresto, “sufocado” ainda não desce ao “goto” e, ainda permanecerá “engasgado”!…

E que suas ideias, sejam plantadas e irrigadas! Que não murchem como as plantas de seu jardim… Que não murchem como “corpos sepultos” sob sua estimada Jabuticabeira trazida de Goiana aos seus cuidados, como criança fosse, no seu colo… Que tenha Vida a Sua Casa, à sua Memória… O Memorial da Casa Viva!… 

O Sr. Coronel já morreu?

Imagem reprodução
Imagem reprodução

Por Prof. Ático Vilas Boas da Mota , sábado, 28 de março de 2009

Quem dera! Antes já tivesse morrido e sido sepultado para sempre, no dia a dia de todas as comunidades brasileiras.

Tal não aconteceu, em termos gerais, porque ele tem múltiplas facetas, muitas peles de camaleão e diversos fôlegos de gato. Dependendo de cada região, talvez em raríssimos casos, ele já esteja nas vascas da agonia, ou mesmo já tenha sido embalsamado. Ainda bem! Mas em muitas outras – insisto em reafirmar – que ele se encontra plenamente em vigor, embora disfarçado… Convido os fiéis leitores e / ou ouvintes da nossa querida e singular Rádio Melodia a uma rápida reflexão:

Todos nós sabemos que existem vários ismos que assinalam não poucas vertentes da cultura em geral, por meio de diversos campos de ação: neotomismo, neoromantismo, neocapitalismo, neomodernismo, neoliberalismo, neomazismo (cruz credo!) etc. etc. Por que não haveria também de haver o neocoronelismo? Aliás, muitos de nossos estudos e nossas investigações universitárias nem sempre trazem novas luzes a certos fenômenos examinados. Às vezes, algumas analises, até mesmo aquelas tidas como consagradas devido ao acúmulo de criticas elogiosas ou pela repetição de citações, terminam consagrando ou fixando conceitos que nem sempre coincidem, absolutamente, com a verdade plena.

Um deles, muito flagrante, é aquele que nos aponta, no campo da história, sociologia, psicologia coletiva e da cultura geral, o Coronelismo como uma manifestação já desaparecida, morta, extinta. Mas, na realidade, tal não aconteceu, pois o coronelismo está vivo, vivinho da silva. Encontra-se em pleno vigor sob a forma resistente e multiforme do neocoronelismo. O que desapareceu, meus caros senhores da seara histórica, sociológica e psicológica foi tão somente o estilo de se exercer o comando quanto ao uso e à manipulação do poder local ou regional.

Todas as obras que eu consultei sobre esta matéria, dão-no como desaparecido no tempo e no espaço. Tomaram a nuvem por Juno. O coronelismo está vivo – repito – sob a forma modernizada do neocoronelismo. O que realmente desapareceu foi apenas o estilo do antigo coronelismo.

Geralmente os meios de comunicação, com insistência, sobretudo nas novelas televisionais, apresenta-nos um coronel de porte hierático, falando grosso, autoritário, com sua corrente de relógio de bolso, às vezes com sua bengala ou seu charuto, rodeado de jagunços, de compadres ou seguidores que lhe cercam de salameleques, viajando em cavalos bem arreados etc. Este é o estereótipo bem conhecido e já desaparecido.

O neocoronel de nossos dias, geralmente anda bem trajado, segundo os ditames da última moda, usa veículos motorizados, às vezes o avião, o rádio, o telefone e alguns – talvez em número menor – usam, infelizmente, pistoleiros que correspondem aos antigos jagunços ou capangas, para a execução dos seus planos sinistros. Pelo exposto, o coronel tradicional não foi totalmente extirpado de muitas de nossas comunidades, mas, apenas, o seu estilo de exercer o mandonismo local.

Não faz muito tempo, testemunhei, no alto sertão da Bahia, uma atitude neocoronelista: certo prefeito fazia-se presente, numa das sessões da Câmara de Vereadores, em que se deveria aprovar as contas da gestão daquele mesmo prefeito! Quando o neocoronelismo morrer, bem como seus hediondos métodos, ninguém lhes dirá: Requiescant in pace! Mas sim: Vade retro Satana!

(esta e outras crônicas também foram publicadas pela Rádio Web Melodia)

Prof. Ático Mota… * 11/10/1928… + 26/03/2016 … * 26/06/2016…