Quem gosta de museu? 

…”É com imensa satisfação que o Museu do Amanhã gostaria de compartilhar com vocês uma notícia que nos enche de orgulho. Símbolo da revitalização da zona portuária do Rio de Janeiro, o Museu do Amanhã acaba de ganhar destaque internacional ao ser homenageado com o Leading Culture Destinations Awards, prêmio britânico considerado o ‘Oscar dos Museus’…”   Fonte: www.museudoamanha.org.br ) Texto publicado no site do Museu do Amanhã.

Foi com esta empolgação que o site do Museu do Amanhã, com sede no Rio de Janeiro, noticia o prêmio concedido ao seu museu, como dito considerado o “Oscar dos Museus”, um prêmio de alta relevância internacional.

Os museus atualmente criados, querem mais que retratarem o passado isoladamente, mas pensando no futuro, melhor no “amanhã”, pensam em sua sobrevivência como instituição que desperte o interesse das gerações dos “smartphone”, “da internet” seja “das coisas” ou se “si mesmo“…

No entanto, há 30 anos O Museu Regional de Macaúbas, já nascia com uma missão de não somente de “guardar” a memória do passado, assim sendo, ensinando que é necessário nos prepararmos para o futuro através da valorização da cultura e da educação seja ela através dos “pergaminhos” ou da tela do computador e veja só, este também já foi ultrapassado pelo “celular ou smartphone” 

Criado e idealizado pelo fundador da Fundação Cultura Prof. Mota, o Museu Regional de Macaúbas, se encontra em estado de decadência, não “jogado às traças”, mas estas se “deleitando” de suas estruturas, de seu acervo e por fim, ignorado pelos povos que ele mesmo tenta preservar… Quem também não gosta de museu, também não gosta do “amanhã”, pois um dia “o amanhã” será passado! E este passado se não cuidado não será lembrado!

Missão Impossível? 

Parece que Prof. Ático, era amante das “missões impossíveis” e estas, não parece ser “urgentes”, talvez protagonista de um filme que ele era o autor, diretor, ator principal, fazia o próprio figurino mas, não teve a devida estreia no seio da sociedade macaubense! A crise do Museu Regional de Macaúbas, é o espelho da falta de valorização cultural, da escassez da leitura, do acesso ao saber e da “pratica do menor esforço” a busca da “máxima compensação”: que é jogar na loteria com um único bilhete e acertar a Mega Sena de Fim de Ano!…

E voltemos para o Futuro, pois é pensando neste é que valorizamos o passado! 

 www.fundacaoculturalprofmota.com.br

Este é o site do Museu de Macaúbas, ainda em construção, como nosso futuro e resgate do que é importante do passado.

Museu Regional de Macaúbas, anexo da Fundação Cultural Prof José Batista da Mota, completou 30 anos de existência. Nunca é demais destacar que o nosso museu é um marco importantíssimo para a cultura local, dado o seu pioneirismo na região, reconhecidamente órfã de opções de acesso público à cultura. A partir de janeiro de 2019, estamos planejando diversas ações culturais em conjunto com grupos e iniciativas já existentes que englobarão tanto a Fundação como o Museu, tornando mais efetivo este acesso a cultura para todos aqueles que se interessarem.

 

(Fonte www.fundacaoculturalprofmota.com.br) 

 


Na final…

O jornalista Aparecido Silva  editor do BNews, natural de Macaúbas , foi classificado para a fase final do prêmio Taurus de Imprensa, que premia os melhores profissionais da imprensa baiana, pelo portal Bocão News

Aparecido Silva, mais conhecido por Cydo Sylva,  foi escolhido por votação do público nas categorias  ‘repórter online’. Na próxima fase, um júri técnico definirá o campeão de cada segmento.

A premiação é realizada pela Taurus Group, agência especializada em gestão de imagem e assessoria de imprensa, com cerimônia de entrega prevista para o dia 12 de dezembro.

Também disputam o prêmio apresentadores, repórteres de jornal impresso, produtores de TV e rádio, editores, narradores e comentaristas.

Outro jornalista também do Bocão News, também foi classificado, o reporter Tiago de Araújo.


Acontece em Macaúbas, rodadas de palestras sobre arquelogia, sob a coordenação do Prof. Carlos da Universidade Federal da Bahia e sob a assistência do Prof. Alvandir. Também haverá visita de campo nas comunidades de Pajeú, onde há também pinturas Rupestres com visitas e atividades de formação em escola municipal e da Família Agrícola.  As palestras acontecem no Colégio Estadual Firmino Soares, pela manhã aconteceu as 9h00, a tarde será as 15h30min e a noite será as 19h30min, esta última será ministrada pelo prof. Carlos.
Momento da palestra pela manhã (Foto Bia Bastos)
A importância do projeto, ao qual visa além do conhecimento da arquelogia, a preservação de seus “sinais”, pois estes são os únicos meios de estudo dos povos antigos, sinais estes deixados através das Pinturas Rupestres, as quias muitas são depredadas, destruídas e “modificando” a intenção dos antigos, em repassar para as futuras gerações a sua cultura, modo de vida e existência.
A a preservação só acontece quando a comunidade passa a conhecer a importância da arquelogia na busca da identidade do Ser Humano, de onde veio, onde estamos para a buscas para o onde vamos!
E os “sinais” que apontam para o “onde vamos” não são nada animadores! E a educação, a valorização das culturas e dos povos é que garante um bom “porto seguro”!
 

Dentro das inúmeras atividades que estão sendo realizadas na rede estadual pelo Novembro Negro, em celebração ao Dia da Consciência Negra (20/11), a Secretaria da Educação do Estado da Bahia lança uma nova remessa de 1.500 exemplares do livro paradidático “Terror e aventura – tráfico de africanos e cotidiano na Bahia” (Editora Corrupio), de Goli Guerreiro e Elizabeth Rodrigues, que foi publicado em 2012, com uma tiragem de 100 mil. A produção do material didático faz parte do conjunto de políticas públicas afirmativas implementadas no âmbito da rede estadual. Além disso, nesta sexta-feira (23), às 15h, no auditório da Secretaria, estudantes e professores participam do debate sobre os 220 anos do enforcamento dos líderes da Revolta dos Búzios.

O subsecretário Nildon Pitombo explica que o relançamento do livro “Terror e aventura – tráfico de africanos e cotidiano na Bahia” decorre do pedido de professores de História. “A publicação é fruto da necessidade da rede estadual de ter um material didático para atender a Lei nº 10.639, que estabelece a inclusão no currículo oficial da temática ‘história e cultura africana e afro-brasileira nas escolas e do Estatuto da Igualdade Racial da Bahia, que diz que devemos providenciar a produção de material didático e continuar a labuta cotidiana do combate ao racismo dentro do Estado. Reproduzimos o livro e, por meio do Programa de Educação Científica (PCE), o inserimos em cerca de 800 escolas, especialmente as unidades quilombolas de Cachoeira”.


Abertura feita pelo diretor Prof. Alan Figueiredo, na manhã desta terça feira 13 (Foto Dudu Souza)

Conforme nota do Prof. Teotônio da Silva Ferreira, que prestou assessoria de comunicação ao evento, que iniciou nesta terça feira, 13 e continua nesta quarta, no Centro Territorial de Educação Profissional (CETEP) da Bacia do Paramirim, unidade da rede estadual de ensino localizada em Macaúbas, no Sudoeste do Estado, está realizando,  I Festa Literária de Macaúbas (FLIMAC). Com a proposta de incentivar a leitura em suas diversas modalidades e suportes, contribuindo para a formação profissional e cidadania dos estudantes, a iniciativa conta com palestras, mesas-redondas, rodas de conversa, lançamentos de livros, shows e diversas manifestações artísticas. São esperadas de 3 a 5 mil pessoas nos dois dias de evento.

Centenas de estudantes, professores e a comunidade da Bacia prestigiaram o evento

No total, estão envolvidos cerca de 500 alunos do Ensino Médio integrado à Educação Profissional, estudantes dos cursos técnicos em Administração, Vendas e Secretaria Escolar. A estudante do curso técnico em Vendas, Graciele Oliveira Santos, 18 anos, é uma das participantes e fala sobre seu envolvimento. “Eu falo sobre a história entre o letramento e religiosidade em Macaúbas. A gente pesquisou sobre como os pais ensinavam seus filhos a ler e trouxemos vários artefatos antigos, como livros e bíblias que as famílias usavam para ensinar seus filhos a ler e escrever porque não tinham acesso a livros didáticos”, conta.

Na programação, destaque também para as exposições de fotografia e artes visuais. Toda a Festa, seus stands e mostras contam com a participação de alunos, que vão lançar livros de poesia e não-ficção, apresentar peças e outras produções como teatro, dança e poesia encenada. “Resolvemos fomentar essa festa para estimular o jovem talento, mostrar o que nossa região pratica em termos de literatura. A partir do evento buscamos atender a questões de aprendizagem, se comunicar com a comunidade do nosso município, Macaúbas, e melhorar a conexão com os outros municípios do nosso território”, diz o vice-diretor pedagógico, Teotônio da Silva Ferreira.

Entre os temas abordados, estão: ‘Jovens do terceiro milênio’, ‘A mulher negra na literatura’ e ‘A importância Histórica da Leitura’. As oficinas contemplarão tópicos como fotografia, desenho e como montar seu livro.

 


Imagem meramente ilustrativa (Fonte Google)

O grande desafio dos escritores da Literatura Infantil é  pensar e pintar como criança… Hoje, vários atores preferem usar ilustrações reais feitas por crianças… Agora imagine você um livro infantil editado, redigido, diagramado e ilustrado por crianças!… É isso mesmo,  A Árvore Encantada, é um uma obra feita exclusivamente por crianças da Pré Escola, (II/A) da Escola Municipal Monteiro Lobado, da cidade de Boquira, sob a orientação da Professora Marlene…

Crianças da Pré Escola ou seja, é da “pré”, nem da escola “de verdade” são!… Estas irão para a História!… Imaginem quando estiverem na “Pós Escola”!… “Pós Universidade”?

O evento do lançamento do livro mais esperado da “história” literária da região, acontecerá nesta terça feira, 13 de novembro, às 9h30min… No CETEP em Macaúbas.  Valor do exemplar: R$ 15,00 – Há poucas unidades!

 


De pintor para escritor… O artista plástico autodidata Eduardo Cambui Jr, se completa também como escritor, trocando em suas vogas horas, o pincel pela caneta mas, sem necessariamente  deixar o cavalete de lado! É que Isto, foi “gestado”, segundo seu autor em nota publicada em seu portal: www.arteporparte.com * com a paciência de uma Elefanta, ou talvez de uma Salamandra Alpina.. E deu Isto… Um livro ilustrado de poesias ou talvez, um livro de pinturas poéticas!… Fato é que o “bicho” é de duas cabeças e não é cobra… Cobra é o cara que o gestou!… Melhor, “macaco velho” no pincel e agora na pena!..

Quem sabe agora ele se dedique à zoologia!…

O recado foi dado, não sou Pombo Correio no entanto, todo mundo tem um “Isto” de Camaleão!…

Vai é sair “lacraia” deste bau…

Veja nota do autor disto ou seja, do Isto!

“Depois de uma longa gestação, muito maior do que a mais longa do reino animal, e outro período igualmente longo de análises, de correções, opiniões e decisões, finalmente decidi dar um passo além, apostar no escuro e lançar o livro “Isto”, que é um livro de poesias que se comunicam com ilustrações e vice-versa. É uma aposta arriscada porque estou me aventurando em águas que não são as minhas. Tentei criar um livro que pende discretamente para o lado da poesia concreta, mas utilizando muito mais as ilustrações para criar o apelo visual do que apenas a disposição das letras, palavras e frases, ainda que elas também se façam presente. 

De fato, o livro já estava pronto há algum tempo, mas um grande motivador para o seu lançamento foi o surgimento da FLIMAC – 1ª Festa Literária de Macaúbas / BA, do qual fui convencido por um de seus idealizadores a lança-lo e, desta forma, também apoiar o evento disponibilizando para o seu cronograma mais um lançamento. Entre palestras, debates, oficinas e outras atrações, haverá uma exposição de arte da qual estarei participando também, desta vez no campo que realmente entendo.
Fica então aberto o convite para quem esteja disponível (e convenientemente por perto) e queira participar deste grande incentivo cultural, num tempo em que isto se torna mais necessário do que nunca”. (Fonte: www.arteporparte.com)

Acontece nesta terça, 13 e quarta 14 – A primeira Festa Literária de Macaúbas… A festa são dos livros, portadores da literatura, neste evento patrocinado pelo Centro de Educação do Vale do Paramirim, o qual tem sua sede em Macaúbas, no mesmo prêmio onde abrigou o CEAS, terá além de palestras, mini cursos, venda de livros e lançamentos!

Serão dois dias de festa da cultura e literatura, oportunidade para todos se aproximarem dos livros!

Veja Programação Oficial: