29ago13 PGJUma parceria importante, que garantirá melhor acolhimento, humanização e celeridade nos atendimentos prestados às mulheres baianas em situação de violência, foi firmada na manhã desta quinta-feira, dia 29, em Salvador. O Governo Federal, o Estadual, o Ministério Público do Estado, Tribunal de Justiça, Defensoria Pública e a Prefeitura Municipal assinaram o termo de adesão ao programa ‘Mulher, Viver Sem Violência’, desenvolvido pela Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM) com objetivo de integrar os serviços públicos de atenção às mulheres em situação de violência para lhes proporcionar atendimento humanizado. Salvador será a primeira cidade brasileira a contar com local especializado para este atendimento, a ‘Casa da Mulher Brasileira’, que será criada em todos os estados da Federação. A iniciativa, registrou o procurador-geral de Justiça Wellington César Lima e Silva, é relevante para preservar as mulheres da violência, carrega o traço fundamental da atuação em rede e tem como marca o caráter inaugural na Bahia. “Ela merece os aplausos e entusiasmo do MP”, assinalou ele.


Em nota enviada por e-mail, usuário se queixa de morosidade e ingerência do DETRAN no Estado baiano, veja a seguir a história do internauta:
“Estou aguardando a transferência de um veículo no município de Boquira há 25 dias, e não pode ser feito ainda devido o coordenador do Retran etá de licença médica e não tem substituto. Tentei fazer a transferência em Macaúbas que dista 30 km de Boquira (por ser a cidade onde seria digitado o documento), porém o coordenador se encontrava em Salvador e também não não tinha substituto.
No dia 20 de agosto o coordenador do Retran de Macaúbas foi exonerado e foi nomeado um substituto interino que também estava em Salvador a semana passada toda e ontem fui informado pelo despachante que informaram a ele em Macaúbas que não mais digitariam os documentos de Boquira em Macaúbas e estes deveriam ser digitados em Guanambi. 
Até quando vamos ficar reféns deste tipo de descaso do estado para com os cidadãos que pagam seus impostos em dias e quem trabalhar dentro da lei? Como pode nos dias de hoje, um servidor não ser substituível? A população ficar refém de apenas um servidor, porque não tem um sub coordenador quer possa substituir o titular quando este estiver impossibilitado de atender? Não esquecendo que o mesmo aconteceu em Luis Eduardo Magalhães, onde o veículo que estou tentando transferir precisou de fazer uma vistoria lacrada e o servidor que emitiria esse laudo também estava em salvador atrasando por 5 dias a realização da vistoria.”
 
Texto Enviado veia e-mail por: Ismael Almeida.