Amelinho Político 24h X Robinho Empresário 24h: é a dedicação que faz o especialista.

…O que os ligam?…

O que é ser um especialista numa área? 

 …”É uma pessoa que se ocupa exclusivamente de um ramo particular de uma ciência, de uma arte, etc. Também pode ser chamado de especialista o profissional que se empenha em uma matéria“… Simples assim. 

Ou ainda, na linguagem mais coloquial: … É aquele que sabe tudo de um pouco. Ao contrário disso é o generalista que é aquele que sabe pouco de um tudo ou seja, pau para toda obra! Que são muitos políticos e empresários medíocres… Mas, o mundo de hoje não há espaço para amadores, para aqueles que acham que tirar 5 em matemática já é o suficiente para ser aprovado no fim do ano… Já o especialista tira 10 na primeira e segunda unidade e é aprovado no meio do ano ou seja, está sempre à frente, ganha tempo e chega antes de todos!…

Ser um bom político é aquele que domina a arte de “negociar” com pessoas e situações. Já o bom empresário é aquele que domina a arte de “negociar” com situações e números!

Segundo o professor Ático, a sobrevida de um líder político não passa de uma geração (sempre foi usado, tendo um século 5 gerações, com a nova expectativa de vida, há estudiosos que acreditam que 4 é o ideal), nesta caso a sobrevida de um político no poder, mandando e tendo influências teria uma média de 25 anos!… Se a reeleição no Brasil fosse “legalmente” indefinida, um gestor municipal teria nesta tese, quatro mandatos consecutivos de prefeito e, se estivesse bem na fita ainda indicaria um sucessor, como temos visto!

O empresário para sobreviver num mundo capitalista deve  ser ele, no seu meio um bom “político”; saber antes de tudo antecipar pensamentos e agir antes, ver além, visualizar oportunidades e ter uma rede de contatos “chaves”, saber gerir números e situações (e dentro estas situações estão as pessoas)… Os atos do empresário se assemelham em muitos pontos ao do político especialista… No entanto, em poucos momentos os atos do político especialista irão se assemelhar ao do empresário bem sucedido.Por quê?

Porque empresário deve ser seletivo com seus próximos e o político inclusivo… Porque, neste segundo argumento por mais contraditório que seja, o político ver “pessoas como números” (o voto: quanto mais, melhor), já o empresário ver muitos aos seu redor, para ele pode representar também números, mais negativos, que geram despesas e não lucro!… Tanto o empresário e o político desconfiam de muitos que aproximam deles e muitas das vezes essa “aproximação” ou “amizadinha” nada mais é que interesse particular, tirar destes, quem sabe alguns “numerário$” …

Políticos especialistas em Macaúbas temos poucos, e a história não contradiz, veja nos últimos 50 anos quem esteve no poder e por quantas vezes, se estes não são de fato políticos 24h e especialistas? Quanto a empresários, Macaúbas tem mais comerciantes que empreendedores…

Comprar e vender é uma arte, e voto não é mercadoria!… Sim, é uma “commodity“, por ser produzido em massa e pela massa, ser bruto (não lapidado), no caso do Brasil, de péssima qualidade que infelizmente não exportamos!… (ixageradu)…

Qualquer semelhança com os atores citados, se trata de mera coincidência… 


Os comentários estão fechados.