100 dias do governo Rebonato: qual é o “tom” do novo governo e os caminhos de Aloisio!

10 de abril de 2021. Os primeiros 100 dias de um governo é um período importante em qualquer esfera da gestão pública, neste caso, hoje, os 5.570 municípios brasileiros, estão completando 100 dias de governo. Esse período marca uma referência para a comunidade de qual será “a cara” do governo municipal pelos próximos quatro anos. E qual é “a cara” que o governo de Aloisio Rebonato e sua equipe desenharam neste período? Você já tem uma noção de como será a sua gestão dos próximos 1.360 dias?

100 dias de governo: 

“É um período em que a popularidade do prefeito ou prefeita eleita está em alta. Este gestor público tem a oportunidade de fazer modificações importantes que demonstrem qual é o propósito da administração que está entrando agora no governo”, avalia o especialista em Gestão Pública, Rodolfo Fiori.

É certo que Aloisio não vem do “meio político” tradicional, e quem é Aloisio Miguel Rebonato? Como você o ver? Disto isso, visto que talvez seria até desnecessário já que 50% mais 81 eleitores (dos votos válidos) votaram nele e muitos destes não se fizeram essa pergunta, muitos se surpreenderam positiva e outros negativamente! O diferencial está nos números (quantos negativos e quais positivos), o que poderia responder isso, seria uma pesquisa de opinião pública. Mas, não é difícil averiguar a temperatura, pra quem vive no meio político sabe do que estou falando. No entanto, o “estado de pandemia” que estamos vivendo pode ter contribuído muito para que as administrações públicas se desenvolvessem de forma não planejada ou querida por muitos gestores. Porem, em Macaúbas, a gestão da pandemia, no início do governo Rebonato, por diversos motivos, teve suas dificuldades inerentes, uma delas se esbarrou “na escolha de pessoas”, que é o principal “ingrediente” de qualquer gestão, seja ela pública ou privada: recursos humanos! E Rebonato, como agricultor e “tendências” a pecuarista, deve aprender a “laçar”, “marcar” e “escolher” as melhores “cabeças do rebanho” para compor seu governo, e parece que foi o que não aconteceu no seu início de governo, e ainda tem problemas com isso. Mas o grande problema de Aloisio, não inicio propriamente no dia de sua posse, 1º de Janeiro/21, e sim, no dia 16 de novembro de 2020: faltou transição! 

Os caminhos de Aloisio: tirem as pedras!

A Transição: 

Um novo governo inicia logo após a vitória do candidato, o grande “pecado” da equipe e do grupo político de Aloisio Rebonato, foi a falta da Transição de Governo, a qual não houve, esse período de 16/11/20 a 31/12/2020, foi perdido… O despreparo do grupo, a euforia e o “descontrole emocional” foram as “masmorras” deste, perderam a oportunidade de “conhecer o terreno” o qual iria se pisar, adubar, plantar para COLHER BEM! E, Rebonato como bom agricultor deveria ter planejado isso, ou melhor, seu grupo político que tem muita gente “experiente” em gestão pública (a seu modo), inclusas  ai, as velhas e as novas “raposas” – melhor,  entre os “pangarés” e os “Manga largas”… Dito isso, é bom irmos pra frente! (porque atrás vem gente e ele tem nome: Amelinho, do qual falaremos antes do apagar das luzes)

E os primeiros 100 Dias do Governo Rebonato?  

Feita as considerações sobre o período de transição, o qual foi mal aproveitado, iremos diagnosticar do 1º de janeiro até a presente data. Inicialmente é difícil falar do que você não sabe, do que não ouviu falar, do que não leu!… E o Governo Rebonato, pecou muito em “transparência”, como pessoas são a “matéria prima” em tudo, Rebonato, não tinha (e agora tem com deficiência) uma equipe de pessoas preocupadas em LEVAR a população informações de seu próprio governo, não há uma estratégia de marketing, de informações públicas e pior de transparência. Está na linha do “difícil” para o “impossível” FALAR com muitos dos integrantes de seu governo, as queixas são grandes desde dos vereadores (e quem mais faz essa queixa são do próprio governo, os situacionista), indo até ao cidadão comum. A falta de COMUNICABILIDADE é grande, se resume em “banners” frios, poucas palavras e de redação pobre!… No entanto, Aloisio tem até disposição para OUVIR, parece-nos aberto a conversa, a sugestão, bem como ele deixa claro isso em vídeo postado, e em suas reuniões, das quais uma eu participei, quando ele reconhece a DIFICULDADE da “coisa” chegar até aos ouvidos do povo!… Sugerimos a ele que usasse  meios de comunicação que atingisse a massa e não apenas os “privilegiados” do Instagram, aplicativos esse das “dancinhas” das “poposudas” e dos “memes” e de outras vulgaridades que faz bem ao nosso ‘espírito hétero’ e cansado de ver desgraças no JN. E mais: 

A boa escolha de colaboradores é uma arte, uma ciência, para isso já inventaram os Recursos Humanos, o famoso RH, mas, em casos públicos, a escolha nem sempre é técnica e sim política, ainda temos entraves na gestão de Aloisio Rebonato por causa de escolhas equivocadas em seu quadro de colaboradores que neste caso se tornaram “pedras” e “atrapalhadores” – agora cabe a ele identifica-los e substitui-los, caso queira melhorar a cada 100 dias sua gestão, porque atrás vem gente! 

Obras e Serviços, Projetos dos Primeiros 100 Dias: 

Dizem que o inverno tá cheia de “boas intenções”, não sei disso porque nunca fui lá. Há quem diga que vivemos num! E se assim for, há sim, aqui boas intenções, e Aloisio Rebonato é um dos que as têm! Contudo, há de se saber se todos de sua equipe as têm também. De novo esbarramos no grupo, nos “colaboradores”, visto que uma GESTÃO PÚBLICA não se faz sozinho!” Mas, o “chefe” é que mostra o caminho, dar as ordens, “tira as pedras”, guia, faz e cobra – se não “leu a cartilha” PÉ NA BUNDA! Dito isso, ainda é cedo para cobrar tanto, pois – como o “grupo de Aloisio” ficou quase 20 anos fora do poder e recebeu a prefeitura de outro grupo, se “encontraram perdidos”, e até “arrumar” a casa para quem ficou muito tempo “congelado” é certo que as dificuldades existem – no entanto, é bom enumerar algumas conquistas de Aloisio Rebonato e de suas características e “intenções”:  Aloiso é técnico, homem de pouca burocracia, é o cara que quer fazer e “meter a mão na massa” (e onde ela mais alcançar)! E para isso, vem costurando um bom relacionamento com instituições importantes, com projetos que possam, alavancar a economia, produzir renda e gerar empregos dando independência financeira e tirando o povo da “fila da prefeitura”… Se ele conseguir colocar uns três projetos destes em prática, Macaúbas será um “oásis” do Sertão! Este é o crédito que damos para Rebonato! Que nos impede de fazer uma “descarga” de críticas desnecessárias aos seus primeiros 100 dias!… Aloisio acena para um BOM CAMINHO, nos mostra que há luz no início do túnel e que o “fim do túnel” pode está melhor iluminado e seguro para todos! Porque atrás vem gente!

A Fé é necessária… Mas diz o Criador: …”Faça a sua parte”

Por que atrás vem gente? 

Quanto pior melhor!… Frase bem batida né? É o que a maior parte de quem está fora do governo (a oposição) talvez pense e se assim for,  é certo que tem lógica… Visto que, se a situação é ruim, abre alas para a oposição retomar ao poder… Contudo, para o povo, e bem como para o eleitor comum (o não apaixonado, que não se beneficia do poder), este é um pensamento PÉSSIMO e burro! (que nos nobre o nobre Asno!)… Porque a torcida deve ser a favor do sucesso, a bem do povo, da maioria e não de um ou de outro ou de grupos! É certo que a sociedade macaubense, como boa parte do povo brasileiro (com raras exceções), não há na sociedade o ESPIRITO DE COMUNIDADE… Levar vantagens está na alma do brasileiro (e de muitos povos, isso também é uma péssima característica do Ser Humano, que é um “tática” de sobrevivência)… Voltamos ao tema: porque atrás vem gente! … Sim, vem gente! E a mensagem é essa: FAÇA SEMPRE O MELHOR, se igual ou pior! Não merece o posto! 

La revedere! 

 


Os comentários estão fechados.